PERCEPÇÃO DAS PUÉRPERAS ACERCA DO PARTO VERTICALIZADO

Nayale Lucinda de Andrade Albuquerque, Cynthia Dantas Vicente, Amanda Bezerra da Silva, Bruna Roberta Lins, Renato Daniel Melo da Silva

Resumo


Objetivo: identificar a percepção das mulheres acerca do parto verticalizado. Metodologia: estudo exploratório e descritivo de natureza qualitativa, realizado em uma maternidade municipal de Recife-PE, no ano de 2016, com 14 puérperas que tiveram parto normal verticalizado. Os dados foram transcritos e analisados conforme a técnica de analise de conteúdo de Bardin. Resultados: emergiram três categorias temáticas: protagonismo da mulher; despreparo para o parto e aprovação da posição. Conclusão: as posições foram vista de forma positiva, porém ainda há necessidade de educação em saúde, sobretudo no pré-natal para preparo das mulheres para período gravídico-puerperal.

Descritores: Parto normal; Parto humanizado; Modalidades de posição.

PERCEPTION OF PUERPERAS ABOUT THE VERTI CALIZED DELIVERY

Objective: to identify a perception of women about vertical delivery. Methodology: an exploratory and descriptive study of a qualitative nature carried out in a municipal maternity hospital in Recife-PE in the year 2016 with 14 puerperae who had normal vertical delivery. The data were transcribed and analyzed according to the Bardin content analysis technique. Results: Three thematic categories emerged: women's protagonism; Unprepared for delivery and position approval. Conclusion: Positions were seen positively, but there is still a need for health education, especially without prenatal preparation for women for pregnancy-puerperal period.

Descriptors: Normal birth; Humanized birth; Modalities of position.

LA PERCEPCIÓN DE LAS MADRES EN EL PARTO VERTI CALIZADO

Objetivo: Identificar la percepción de las mujeres en el parto vertical. Metodología: estudio cualitativo exploratorio y descriptivo realizado en una maternidad municipal de Recife-PE en el año 2016 con 14 madres que tuvieron parto vertical normal. Los datos fueron transcritas y analizadas según la técnica de análisis de contenido de Bardin. Resultados: surgieron tres categorías temáticas: papel de la mujer; La falta de preparación para la entrega y aprobación de la posición. Conclusión: la forma en posiciones fueron vistos de manera positiva, sin embargo, todavía hay necesidad de educación para la salud, especialmente sin el párrafo preparación prenatal de las mujeres por el embarazo y el puerperio.

Descriptores: Parto normal; parto humanizado; posición modalidades.


Texto completo:

PDF

Referências


Gupta JK, Hofmeyr GJ. Position for women during second stage of labour for women without epidural anaesthesia. Cochrane database of systematic reviews (online), 2012. Disponível em: http://onlinelibrary. wiley.com/doi/10.1002/14651858.CD002006.pub3/pdf/. Acessado em Agosto de 2016.

Roy MER, Moreno AC, Jimeno JF. Las posturas de la mujer de parto en fase de expulsivo: revisión de la evidencia científica y recomendaciones. Medicina Naturista, Vol. 8 - N.º 1: 23-30, 2014. Disponível em: file:///C:/Users/Cynthia/Downloads/Dialnet-LasPosturasDeLaMujerEnE lPartoEnFaseDeExpulsivo-4560683.pdf . Acessado em Agosto de 2016.

Pontes MGA, Lima GMB, Feitosa IP, Trigueiro JVS. Parto Nosso De Cada Dia: Um Olhar Sobre As Transformações E Perspectivas Da Assistência. Rev. Ciênc. Saúde Nova Esperança – Jun. 2014; Disponível em: http://www.facene.com.br/wp-content/uploads/2010/ 11/Parto-nosso-de-cada-dia.pdf . Acessado em Agosto de 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Nascer no Brasil: Inquerito Nacional sobre parto e nascimento. Sumário executivo temátivo nascer no Brasil. Brasília, 2014.

Balaskas. Parto ativo: Guia prático para o parto natural. Editora: Ground, 3º edição. 2016.

Organização Mundial da Saúde (OMS). Assistência ao parto normal: um guia prático. Relatório de um grupo técnico. Genebra: OMS; 1996.

BRASIL. Ministério da Saúde. Parto, aborto e puerperio: assistência humanizada à mulher. Brasília: Secretaria de Políticas de Saúde/MS; 2001. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cd0 4_ 13.pdf. Acessado em Agosto de 2016.

Kopas ML. A review of evidence-based practices for management of the second stage of labor. J Midwifery Womens Health. 2014. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24850283. Acessado em Agosto de 2016.

Lawrence A, Lewis L, Hofmeyr GJ, Styles C. Maternal positions and mobility during first stage labour. Cochrane Database Syst Rev. 2013. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/14651858. CD00 3934.pub3/full. Acessado em Agosto de 2016.

Gayeski ME; Brüggemann OM. Puerperal women's perceptions on vertical and horizontal deliveries. Rev. Latino-Am. enfermagem vol.17 no.2 Ribeirão Preto Mar./Apr. 2009. Disponível em: http:// www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104- 11692009000200003. Acessado em Agosto de 2016.

Westbury B. Mobility and upright positioning in labour. Pract Midwife. 2014. Disponível em: http://www.cochrane.org/CD003934/ PREG_mothers-position-during-the-first-stage-of-labour. Acessado em Agosto de 2016.

da Silva FM, de Oliveira SM, Bick D, Osava RH, Tuesta EF, Riesco ML. Risk factors for birth-related perineal trauma: a cross-sectional study in a birth centre. J Clin Nurs. 2012. Disponível em: http://www.iosrjournals. org/iosr-jnhs/papers/vol5-issue1/Version-1/E05114048.pdf. Acessado em Agosto de 2016. 13. Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 2009.

Nieuwenhuijze MJ, de Jonge A, Korstjens I, Bude L, Lagro- Janssen TL. Influence on birthing positions affects women’s sense of control in second stage of labour. Midwifery; 2013. Disponível em: http://www.midwiferyjournal.com/article/S0266-6138(12)00248-3/ pdf. Acessado em Agosto de 2016. November 2013Volume 29, Issue 11, Pages e107–e114

Lepleux F, Hue B, Dugué AE et al. Obstetric data in a population with postural changes during labour and delivery. J Gynecol Obstet Biol Reprod (Paris);2013.

Thies-Lagergren L, Hildingsson I, Christensson K, Kvist LJ. Who decides the position for birth? A follow-up study of a randomised controlled trial. Women Birth; 2013.

Camillo BS, Nietsche EA, Salbego C, Cassenote LG , Osto DSD5 , Böck A. Ações de educação em saúde na atenção primária a gestantes e puérperas: revisão integrativa. Rev enferm UFPE 2016 [online]. Recife, 10(Supl. 6):4894-901. Disponível em: file:///C:/Users/Cynthia/Downloads/ 11270-25469-1-PB.pdf, Acessado em Agosto de 2016.

Costa AP, Bustorff LACV, Cunha ARR, Soares MCS, Araújo V. Contribuições do pré-natal para o parto vaginal: percepção de puérperas. Rev Rene, Fortaleza, 2011. Disponível em: http://www.revistarene. ufc.br/vol12n3_pdf/a14v12 n3.pdf. Acessado em Agosto de 2016.

Santos RCS. Implementação de evidências científicas na assistência ao parto normal: estudo longitudinal. Enferm. Foco, 2017. Disponível em: http://webcache.googleusercontent.com/search?q= cache:1kLFxkWm_wkJ:revista.portalcofen.gov.br/index.php/enfermagem/ article/view/880+&cd=3&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br. Acessado em Agosto de 2016.

Côrtes CT, Santos RCS, Caroci AS, Oliveira SG, Oliveira SMJV, Riesco MLG. Implementation methodology of practices based on scientific evidence for assistance in natural delivery: a pilot study. Rev Esc Enferm USP, 2015; 49(5):716-724. Disponível em:http://www.scielo. br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342015 000500716. Acessado em Agosto de 2016.




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2018.v9.n3.1114

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.