FATORES DE RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DE LESÃO POR PRESSÃO EM PACIENTES CRÍTICOS

Carolina Otto, Beatriz Schumacher, Luiz Paulo de Lemos Wiese, Carlos Ferro, Raquel Antonacci Rodrigues

Resumo


Objetivo: Identificar a relação entre os fatores de risco para o desenvolvimento de lesão por pressão e determinar sua incidência em pacientes críticos. Metodologia: Estudo descritivo de abordagem quantitativa, que avaliou pacientes internados em uma unidade de terapia intensiva, durante o período de 1º de maio a 30 de outubro de 2015. Resultados: Participaram do estudo 59 pacientes, destes 29 desenvolveram lesão por pressão, incidência de 49,2%. Quanto às variáveis demográficas e clínicas, houve predominância do gênero masculino, média de idade (46,9 ± 19,8), associação estatística (p= <0,001) para maior tempo de internação, ventilação mecânica, sedação, balanço hídrico positivo e uso de antibióticos, Escala de Braden, no escore risco elevado e risco leve e Simplified Acute Physiology Score (p=0,09). Conclusão: As lesões apresentam multicausalidade, sugerindo-se que a prevenção e tratamento sejam realizados através da educação nos serviços com fortalecimento dos protocolos.

Descritores: Lesão por Pressão; Enfermagem; Unidade de Terapia Intensiva; Fatores de Risco; Protocolos; Cuidados Intensivos.

RISK FACTORS FOR THE DEVELOPMENT OF PRESSURE LESION IN CRITICAL PATIENTS

Objective: To identify a relationship between the risk factors for pressure lesion development and to determine its incidence in critical patients. Methodology: This was a descriptive study of a quantitative approach, which evaluated patients hospitalized in an intensive care unit during the period from May 1st to October 30th , 2015. Results: 59 patients took part in the study, 29 of them developed pressure lesion, a 49,2% of incidence. As for demographic and clinical variables, there was a predominance of male gender, mean age (46.9 ± 19.8), statistical association (p = <0.001) for longer hospitalization, mechanical ventilation, sedation, positive water balance and use of antibiotics, Braden Scale, did not score high risk and light risk and simplified acute physiology score (p = 0.09). Conclusion: The lesion show multi-causality, it is suggested that prevention and treatment are carried out through education in services with strengthening protocols.

Descriptors: Pressure Lesion; Nursing; Intensive Care Units; Risk Factors; Protocols; Intensive Care.

FACTORES DE RIESGO PARA EL DESARROLLO DE LESIONES POR PRESIÓN EN PACIENTES CRÍTICOS

Objetivo: Identificar la relación entre los factores de riesgo para el desarrollo de lesiones por presión y determinar su incidencia en pacientes críticos. Metodología: Estudio descriptivo de abordaje cuantitativo, que evaluó a pacientes internados en una unidad de terapia intensiva, durante el período del 1 de mayo al 30 de octubre de 2015. Resultados: Participaron del estudio 59 pacientes de estos 29 desarrollaron lesiones por presión, 49,2%. En cuanto a las variables demográficas y clínicas, hubo predominio del género masculino, promedio de edad (46,9 ± 19,8), asociación estadística (p = <0,001) para mayor tiempo de internación, ventilación mecánica, sedación, balance hídrico positivo y uso De antibióticos, Escala de Braden, en el score de riesgo elevado y riesgo leve y Simplified Acute Physiology Score (p = 0,09). Conclusión: Las lesiones presentan multicausalidad, se sugiere que la prevención y tratamiento sean realizados a través de la educación en los servicios con fortalecimiento de los protocolos.

Descriptores: Lesiones por presión; Enfermería; Unidad de terapia intensiva; Factores de riesgo; Protocolos; Cuidados Intensivos.

 


Texto completo:

PDF

Referências


Campanili TCGF, Santos VLCG, Pulido KCS, Thomaz PBM, Nogueira PC. Incidência de úlceras por pressão em pacientes de Unidade de Terapia Intensiva Cardiopneumológica. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2015 [citado 2017 Out 12]; 4º (Esp): 7-14. Disponível em: http:// http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S0080-62342015000700007

Loudet CI, Marchena MC, Maradeo MR, Fernández SL, Romero MV, Valenzuela GE, et al. Diminuição das úlceras por pressão em pacientes com ventilação mecânica aguda prolongada: um estudo quasiexperimental. Rev Bras Ter Intensiva. [Internet]. 2017 [citado 2017 Out 12]; 29 (1): 39-46. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbti/ v29n1/0103-507X-rbti-29-01-0039.pdf

Irion G. Feridas: novas abordagens, manejo clínico e atlas em cores. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2012.

National Pressure Ulcer Advisory Panel, European Pressure Ulcer Advisory Panel, Pan Pacific Pressure Injury Alliance. Prevention and Treatment of Pressure Ulcers: Quick Reference Guide. 2ª ed. Australia: Cambridge Media Osborne Park; 2014.

Borghardt AT, Prado TN, Araújo TM, Rogenski NMB, Bringuente MEO. Avaliação das escalas de risco para úlcera por pressão em pacientes críticos: uma coorte prospectiva. Rev. Latino-Amer. Enfermagem [Internet]. 2015 [citado 2015 Out 7]; 23(1): 28-35. Disponível em: http:// www.scielo.br/pdf/rlae/v23n1/pt_0104-1169-rlae-23-01-00028.pdf

Barbosa TP, Beccaria LM, Poletti NAA. Avaliação do risco de úlcera por pressão em UTI e assistência preventiva de enfermagem. Rev Enferm UERJ [Internet]. 2014 [citado 2015 Nov 27]; 22 (3): 353-360. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v 22n3/v22n3a10.pdf

Goulart LP, Aoki RN, Vegian CFL, Guirardello EB. Carga de trabalho de enfermagem em uma unidade de terapia intensiva de trauma. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2015 [citado 2017 Out 1]; 16(2): 346-51. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v16i2.22922

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Departamento de Informática do SUS. Sistema de Informações sobre Morbidade hospitalar por local de residência. [Internet] 2017. Brasília: Datasus [2017 Out 17]. Disponível em: http:// http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/ tabcgi.exe?sih/cnv/niuf.def

Borghardt AT, Prado TN, Bicudo SDS, Castro DS, Bringuente MEO. Úlcera por pressão em pacientes críticos: incidência e fatores associados. Rev Bras Enferm [Internet]. 2016. [citado 2017 Out 18]; 69(3): 460-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/ v69n3/0034-7167-reben-69-03-0460.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Departamento de Informática do SUS. Sistema de Informações sobre Morbidade hospitalar por local de residência. [Internet] 2017. Brasília: Datasus [2017 Out 17]. Disponível em: http:// http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/ tabcgi.exe?sih/cnv/niuf.def

Bueno HL, Pestana JF. Epidemiologia e validação de escore prognóstico em UTI mista do norte do Paraná. Revista Uningá Review [Internet]. 2015 [citado 2015 Dez 1]; 22(3): 23-29. Disponível em: http:// www.mastereditora.com.br/periodico/20150601_0 75001.pdf

Avila MON, Rocha PN, Zanetta DMT, Yu L, Burdmann EA. Balanço hídrico, injúria renal aguda e mortalidade de pacientes em unidade de terapia intensiva. J Bras Nefrol [Internet]. 2014 [citado 2015 Dez 6]; 36(3): 379-388. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jbn/ v36n3/0101-2800-jbn-36-03-0379.pdf

Vasconcelos JMB, Caliri MHL. Ações de enfermagem antes e após um protocolo de prevenção de lesões por pressão em terapia intensiva. Esc Anna Nery [Internet]. 2017 [citado 2017 Out 15]; 21(1) 1-9. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414- 81452017000100201&script=sci_abstract&tlng=pt

Castanheira1 LS, Alvarenga AW, Correa AR, Campos DMP. Escalas de predição de risco para lesão por pressão em pacientes criticamente enfermos: revisão integrativa. Enferm. Foco [Internet]. 2018 [citado 2019 Jan 05]; 9 (2): 55-61. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/ article/view/1073/446




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2019.v10.n1.1323

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.