ANÁLISE DO ACOLHIMENTO COM CLASSIFICAÇÃO DE RISCO EM UMA MATERNIDADE PÚBLICA TERCIÁRIA DE FORTALEZA

Raquel Amâncio Correia, Antônia Regynara Moreira Rodrigues, Priscila França de Araújo, Alana Santos Monte

Resumo


Objetivo: Analisar os atendimentos no acolhimento com classificação de risco em uma maternidade pública terciária de Fortaleza, Ceará. Metodologia: Estudo descritivo, retrospectivo, com abordagem quantitativa, que utilizou técnica de análise documental, com amostra de 365 instrumentos para classificação de risco, realizados no setor de emergência de uma maternidade pública terciária, no período de janeiro a junho de 2016. Resultados: A maioria (57,5%) das mulheres foi classificada como pouco urgente para o atendimento, sendo classificadas com a cor verde. As principais queixas nos atendimentos foram: dor (34,5%), sangramento vaginal (17,5%) e perda de líquido (14%). Conclusão: A clientela que busca atendimento precisa ser mais bem orientada sobre os sinais e sintomas do trabalho de parto, durante as consultas de pré-natal na atenção básica.

Descritores: Acolhimento; Enfermagem obstétrica; Emergência.

ANALYSIS OF RISK CLASSIFICATION IN A TERTIARY PUBLIC MATERNITY OF FORTALEZA

Objective: To analyze the host with risk classification in a tertiary public maternity hospital in Fortaleza, Ceará. Methodology: A descriptive, retrospective study with a quantitative approach using a documental analysis technique, with a sample of 365 instruments for risk classification, performed in the emergency sector of a tertiary public maternity hospital, from January to June, 2016. Results: The majority (57.5%) of the women were classified as not very urgent for care being classified as green. The main complaints were pain (34.5%), vaginal bleeding (17.5%) and fluid loss (14%). Conclusion: Clients seeking care need to be better informed about the signs and symptoms of labor during prenatal consultations in basic care.

Descriptors: User Embracement; Obstetric Nursing; Emergencies.

ANÁLISIS DEL ACOGIDA CON CLASIFICACIÓN DE RIESGO EN UNA MATERNIDAD PÚBLICA TERCIARIA DE FORTALEZA

Objetivo: Analizar la acogida con clasificación de riesgo en una maternidad pública terciaria de Fortaleza, Ceará. Metodología: Estudio descriptivo, retrospectivo, con abordaje cuantitativo, que utilizó técnica de análisis documental, con muestra de 365 instrumentos para clasificación de riesgo, realizados en el sector de emergencia de una maternidad pública terciaria, en el período de enero a junio de 2016. Resultados: La mayoría (57,5%) de las mujeres fue clasificada como poco urgente para la atención siendo clasificadas con el color verde. Las principales quejas en las atenciones fueron: dolor (34,5%), sangrado vaginal (17,5%) y pérdida de líquido (14%). Conclusión: La clientela que busca atención necesita ser mejor orientada sobre los signos y síntomas del trabajo de parto, durante las consultas de prenatal en la atención básica.

Descriptores: Acogimiento; Enfermería Obstétrica; Urgencias Médicas.


Texto completo:

PDF

Referências


Rodrigues ARM, Dantas SLC, Pereira AMM, Silveira MM, Rodrigues DP. Gravidez de alto risco: análise dos determinantes de saúde. Sanare. 2017; 16 Suppl 01:23-8.

Monte AS, Teles LMR, Costa CC, Gomes LFS, Damasceno AKC. Análise das condições potencialmente ameaçadoras de vida de mulheres em unidade de terapia intensiva. Rev Rene. 2017 jul-ago; 18(4):461-7.

Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (CE). Informe Epidemiológico Mortalidade Materna. 2015

Ministério da Saúde (BR). Manual Prático para Implementação da Rede Cegonha. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

Hedlund ACB, Ilha CB , Hoffmann IC, Krusche JB, Pimenta LF , Braz MM.Percepção de profissionais sobre acolhimento com classificação de risco no centro obstétrico. Saúde (Santa Maria). 2015 Jul./Dez; 41(2):149-60.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Manual de acolhimento e classificação de risco em obstetrícia- Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

Maranha NB, Silva MCA, Brito IC. A consulta de enfermagem no cenário da atenção básica e a percepção dos usuários: revisão integrativa. Academus Revista Científica da Saúde. 2017 jan./abr.; 2(1): 45- 52.

Costa CSC, Vila VSC, Rodrigues FM, Martins CA, Pinho LMO. Características do atendimento pré-natal na Rede Básica de Saúde. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2013 [Citado 2017 jul 10] abr/jun;15(2):516-22. Disponível em: https://www.fen.ufg.br/fen_revista/v15/n2/pdf/v15n2a26.pdf

Hedlund ACB, Ilha CB, Hoffmann IC, Krusche JB, Pimenta LF, Braz MM. Percepção de profissionais sobre acolhimento com classificação de risco no centro obstétrico. Saúde (Santa Maria). 2015; 41(2):149-60

Monteiro MM, Sá GGM,Oliveira Neto JG, Lopes KDCL, Carvalho DAC, Martins MCC.Emergências obstétricas: características de casos atendidos por serviço móvel de urgência. R. Interd. 2016 abr. mai. jun.; 9(2):136-44.

Brilhante AF, Vasconcelos CTM, Bezerra RA, Lima SKM, Castro RCMB, Fernandes AFC. Implementação do protocolo de acolhimento com classificação de risco em uma emergência obstétrica. Rev Rene. 2016 jul-ago; 17(4):569-75.

Carret MLV, Fassa AG, Domingues MR. Inappropiate use of emergency services: a systematic review of prevalence and associated factors. Cad Saúde Pública. 2009; 25(1)7-28.

Valadares C. Gravidez na adolescência tem queda de 17% no Brasil. 2017. Disponível em: https://www.portalsaude.saude.gov.br. Acesso em 01/06/2017

Pereira ALF, Lima AEF. Acolhimento com classificação de risco em uma maternidade publica. Rev enferm UFPE on line. 2014; 8(supl. 1):2309-15.

Oliveira GS, Paixão GPN, Fraga CDS, Santos MKR, Santos MA. Assistência de enfermeiros na síndrome hipertensiva gestacional em hospital de baixo risco obstétrico. Rev Cuid [Internet]. 2017 Dec [citado 2018 Feb 06] ; 8( 2 ): 1561-1572. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2216-09732017000201561&lng=en. http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i2.374.

Lugo SAM. Caracterización de las pacientes con hemorragia uterina puerperal en las que se utilizó misoprostol. Rev Cubana Obstet Ginecol [Internet]. 2014 Jun [citado 2018 Feb 06] ; 40( 2 ): 145-154. Disponible en: http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0138-600X2014000200002&lng=es.




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2019.v10.n1.1448

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.