A família frente ao processo de tratamento e reinternação do portador de esquizofrenia

Andressa Behenck, Alessandra Dartora da Silva, Dorisdaia Carvalho de Humerez, Joel Rolim Mancia, Maria Itayra Coelho de Souza Padilha

Resumo


A esquizofrenia é uma doença complexa pois, além de ser orgânica, sofre interferências ambientais que potencializam o indivíduo predisposto a vir a desenvolvê-la. O objetivo deste estudo foi conhecer a compreensão das famílias sobre o processo de tratamento e a reinternação do familiar com esquizofrenia. É um estudo exploratório-descritivo com abordagem qualitativa. Os sujeitos foram oito familiares de pacientes do sexo masculino, em internação psiquiátrica pela segunda vez, ou mais, que aceitaram participar da pesquisa. Foi usada a entrevista semiestruturada e, a seguir, a análise do conteúdo que permitiu identificar as categorias: Falhas do serviço sob a perspectiva familiar; Compreensão da família em relação à esquizofrenia; Não adesão ao tratamento; Comorbidade: uso de drogas associado à esquizofrenia; e A doença avançada. Conclui-se que as famílias têm necessidade de compreender a esquizofrenia e as formas de tratamento e o enfermeiro está habilitado para orientá-las bem como no controle da doença, remissão dos sintomas e agravamento.

Descritores: Esquizofrenia, Transtorno Mental, Enfermagem.

The family in the process of treatment and hospital readmission of patients with schizophrenia

Schizophrenia is a complex disease, because besides being organic, suffers interference that empowers the individual to come predisposed to develop it. The aim of this study was the understanding families about the process of treatment and hospital readmission of the family member with schizophrenia. It is an exploratory descriptive study with qualitative approach. The subjects were eight relatives of male patients in psychiatric hospital for the second time or more, who agreed to participate. It was used semi-structured interview and then content analysis that allowed to identify the following categories: Service failures in the family perspective, understanding the family in relation to schizophrenia, not adherence to treatment, co-morbidity: drug use associated with schizophrenia, and advanced disease. It is concluded that families need to understand schizophrenia and forms of treatment and the nurse is able to guide the families and control the disease, remission of symptoms and aggravation.

Descriptors: Schizophrenia, Mental Disorder, Nursing.

La familia en el proceso de tratamiento y la readmisión de los pacientes con esquizofrenia

La esquizofrenia es una enfermedad compleja, además de ser orgánica, sufre interferencias que permiten a las personas a venir con predisposición a desarrollarla. El objetivo de este estudio fue la comprensión de las familias en el proceso de tratamiento y la readmisión de la familia con esquizofrenia. Se trata de un estudio exploratorio descriptivo con enfoque cualitativo. Los sujetos fueron ocho los familiares de pacientes del sexo masculino en un hospital psiquiátrico por segunda vez o más, que aceptaron participar de la investigación. Se utilizó la entrevista semiestructurada y el análisis de contenido identificó las categorías de fallas en el servicio en la perspectiva de la familia, la comprensión de la familia en relación con la esquizofrenia; la no adherencia al tratamiento, co-morbilidad del consumo de drogas asociado con la esquizofrenia y la enfermedad avanzada. Se concluye que las familias necesitan entender la esquizofrenia y las formas de tratamiento y la enfermera es capaz de guiar a ellos, así como control de la enfermedad y remisión de los síntomas y molestias.

Descriptores: Esquizofrenia, Trastorno Mental, Enfermería.

Texto completo:

PDF

Referências


Alves DSN. Elementos para uma análise da assistência em saúde mental no Brasil. J Bras Psiquiatr. 1992;41:423-6.

Ministério da Saúde (BR). Reforma psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2005. p. 6-9.

Mari JJ, Leitão JR. A epidemiologia da esquizofrenia. Rev Bras Psiquiatr. 2000;22:15-6.

American Psychiatric Association. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (DSM-IV). Porto Alegre: Artmed; 2002.

Chaves AC. Diferenças entre os sexos na esquizofrenia. Rev Bras Psiquiatr. 2000;22(1):21-2.

Koga M, Furegato RA. Convivência com a pessoa esquizofrênica: sobrecarga familiar [Internet]. [citado em 2009 Out 25]. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/viewFile/5656/3596

Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas; 2002.

Minayo MCS. Pesquisa social. 27ª ed. Rio de janeiro: Vozes; 2008.

Duarte R. Pesquisa qualitativa: reflexões sobre o trabalho de campo [Internet]. [citado em 2009 Dez 01]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/n115/a05n115.pdf

Bauer WM, Gaskell G. Pesquisa qualitativa com texto imagem e som. 4ª ed. Rio de Janeiro: Vozes; 2005.

Waidman MAP, Radovanovic CAT, Scardoelli MGC, Estevam MC, Pini JS, Brischiliari A. Estratégia de cuidado a família de portadores de transtornos mentais: experiências de um grupo de pesquisa [Internet]. [citado em 2010 Mai 16]. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/viewFile/9724/5537

Scazufca M. Abordagem familiar em esquizofrenia. Rev Bras Psiquiatr.2000;22(2):50-3.

Galera SAF, Cardoso L. Doentes mentais e seu perfil de adesão ao tratamento psicofarmacológico [Internet]. [citado em 2010 Mai 09]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v43n1/21.pdf

Teixeira EH, Pereira MC, Rigacci R, Dalgalarrondo P. Esquizofrenia, psicopatologia e crime violento: uma revisão das evidências empíricas [Internet]. [citado em 2010 Mai 15]. Disponível em: http://www.observatoriodeseguranca.org/files/esquizo-psicopatol-crimeviolento.pdf

Calheiros PRV, Oliveira MS, Andretta I. Comorbidades psiquiátricas no tabagismo. Rev Aletheia. 2006(23):65-74.

Pinho PH, Oliveira MA, Almeida MM. A reabilitação psicossocial na atenção aos transtornos associados ao consumo de álcool e outras drogas: uma estratégia possível? [Internet]. [citado em 2010 Mai 09]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rpc/v35s1/a17v35s1.pdf

Ministério da Saúde (BR). Saúde mental no SUS: os centros de atenção psicossocial. Brasília: Ministério da Saúde; 2004. p. 16-28.

Louzã MR. Detecção precoce: é possível prevenir a esquizofrenia? [Internet]. [citado em 2010 Mai 09]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rpc/v34s2/a04v34s2.pdf




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2011.v2.n4.185

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.