A posição da câmera fotográfica influencia no cálculo computadorizado da área de úlcera por pressão?

Inalda Leite Pereira, Luciene Carvalho de Sousa, Levy Aniceto Santana, Renato da Veiga Guadagnin, Rinaldo de Souza Neves

Resumo


A análise de área de úlcera por pressão através do processamento computacional de imagens vem sendo utilizada como meio de se quantificar a evolução e as respostas de feridas aos tratamentos aplicados. Este artigo verifica como a posição da câmera fotográfica afeta o cálculo da área de uma úlcera por pressão. Foi fotografada uma úlcera por pressão de grau III, com o eixo da câmera posicionado perpendicularmente à úlcera por pressão, às distâncias de 20 e 30 centímetros. Esse mesmo procedimento foi repetido com o eixo da câmera posicionado a 20° e 30° de inclinação. As imagens foram recortadas preservando-se apenas a úlcera por pressão, a pele sadia e o objeto padrão. Posteriormente, foram processadas pelo software ‘Idrisi’ para cálculo de área por classificação computacional. Os resultados mostraram que a posição da câmera fotográfica interfere no cálculo da área e que a menor alteração ocorreu com o eixo da câmera posicionado perpendicularmente à úlcera por pressão.

Descritores: Úlcera por Pressão, Fotografia, Processamento de Imagem, Medidas de Área.

The position of the photographic camera influences the computerized calculation of the area of pressure ulcer?

The analysis area of pressure ulcers through computer processing of images has been used as a mean of quantifying the evolution of wounds and responses to treatments. This article examines how the position of the photographic camera affects the calculation of the area of a pressure ulcer. It was photographed a pressure ulcer grade III, with the axis of the camera positioned perpendicular to the pressure ulcer, at distances of 20 and 30 cm. This same procedure was repeated with the axis of the camera positioned at 20 ° and 30 ° tilt. The images were cut preserving only the pressure ulcer, skin healthy and standard object. They were later processed by the software 'Idrisi' for area calculation by computer classification. The results showed that the position of the camera interferes in the calculation of the area and that the smallest change occurred with the axis of the camera positioned perpendicular to the pressure ulcer.

Descriptors: Pressure Ulcers, Photography, Image Processing, Measures of Area

La posición de la cámara influye en el cómputo informático de la zona de la úlcera por presión?

El área de análisis de las úlceras por presión a través del procesamiento informático de imágenes se ha utilizado como un medio de cuantificar la evolución de las heridas y las respuestas a los tratamientos. Este artículo examina cómo la posición de la cámara afecta al cálculo de la superficie de una úlcera por presión. Se ha sido fotografiada una úlcera por presión grado III, con el eje de la cámara en posición perpendicular a la úlcera por presión, a distancias de 20 y 30 cm. Este mismo procedimiento se repitió con el eje de la cámara situada a 20 ° y 30 ° de inclinación. Las imágenes fueron cortadas conservar sólo la úlcera por presión, objeto de la piel sana y por defecto. Fueron procesados posteriormente por 'Idrisi' el software para el cálculo del área de clasificación de equipo. Los resultados mostraron que la posición de la cámara se inmiscuye en el cálculo de la zona y que el más pequeño cambio se produjo con el eje de la cámara en posición perpendicular a la úlcera por presión.

Descriptores: Las úlceras por Presión, Fotografía, Procesamiento de Imágenes, Las Medidas del Área.

Texto completo:

PDF

Referências


Costa IG. Incidência de úlcera de pressão e fatores de risco relacionados em pacientes de um centro de terapia intensiva [Internet]. [citado em 2007 Mar 03]. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-09032004-084518/

Blanes L, Duarte IS, Calil JA, Ferreira LM. Avaliação clínica e epidemiológica das úlceras por pressão em pacientes internados no Hospital São Paulo. Rev Assoc Med Bras. 2004;50:182-7.

Rogenski NMB, Santos VLCG. Estudo sobre a incidência de úlceras por pressão em um hospital universitário. Rev Latinoam Enferm. 2005;13:474-80.

Costa MP, Sturtz G, Costa PPC, Ferreira MC, Filho TEPB. Epidemiologia e tratamento das úlceras de pressão: experiência de 77 casos. Acta Ortop Bras. 2005;13:124-33.

Jorge AS, Dantas SRPE. Abordagem multiprofissional do tratamento de feridas. São Paulo: Atheneu; 2005.

Hess CT. Úlceras de pressão. Tratamento de feridas e úlceras. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso Ed.; 2002. p. 79-106.

Leite VBE, Faro ACM. Identificação de fatores de risco associados às úlceras por pressão em indivíduos paraplégicos relacionados às atividades de lazer. Acta Fisiatr. 2006;13(1):21-5.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual de condutas para úlceras neurotróficas e traumáticas [Internet]. [citado em 2007 Mar 18]. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/ manual_feridas_final.pdf.

Flanagan M. Uma estrutura prática para a determinação de ferimentos 2: métodos. Rev Tec Enferm. 1997;117:22-6.

Medeiros GCF. Uso de texturas para acompanhamento da evolução do tratamento de úlceras dermatológicas [Internet]. [citado em 2007 Mar 03. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-09032004-084518/

Mendes AFO. Avaliação do laser, com o comprimento de onda 670nm, no processo de cicatrização de úlceras de pressão no paciente lesado medular [dissertação]. Brasília: Universidade de Brasília; 2002.

Santos VLCG, Azevedo MAJ, Silva TS, Carvalho VMJ, Carvalho VF. Adaptação transcultural do Pressure Ulcer Scale for Healing (PUSH) para a língua portuguesa. Rev Latinoam Enferm. 2005;13(3):305-13.

Souza MGP, Quintiliano P, Trindade L, Santana L, Sá E, Guadagnin R. Recognition of texture and area of decubits ulcers throught computer vision. Pattern Recognit Imag Analys. 2005;15:586-8.

Perez AA. Segmentação e quantificação de tecidos em imagens coloridas de úlceras de perna [dissertação]. [citado em 2007 Mar 03].Disponível em: http://biblioteca.universia.net/html_bura/ficha/params/id/4071701.html

Pires EJ. Fisioterapia na cicatrização e recuperação funcional nos portadores de úlceras de hipertensão venosa crônica: uso da estimulação elétrica com corrente de alta voltagem [Internet]. [citado em 2007 Mar 03]. Disponível em: http://biblioteca.universia.net/html_bura/ficha/params/id/4071701.html

Barone S, Paoli A, Razionale V. Assessment of chronic wounds by threedimensional optical imaging based on integrating geometrical, chromatic, and thermal data. Pisa: Department of Mechanical, Nuclear, and Production Engineering, University of Pisa; 2010.

Ugail H. Partial differential equations for modeling wound geometry. In: Gefen A. Bioengineering research of chronic wounds a multidisciplinary study approach. Bradford: Book Series Studies in Mechanobiology, Tissue Engineering and Biomaterials, University of Bradford; 2009.

Treuillet S, Albouy B, Lucas Y. Three-dimensional assessment of skin wounds using a standard digital camera. IEEE Trans Med Imaging. 2009;28(5):752-62.

Chang AC, Dearman B, Greenwood JE. Techniques: visitrak versus photography. Adelaide, Australia: [s.n.]; 2011.

Bowling FL, King L, Fadavi H, Paterson JA, Preece K, Daniel RW, et al. An assessment of the accuracy and usability of a novel optical wound measurement system. Diabet Med. 2009;26(1):93-6.

Ball GH, Hall DJ. A novel method of data analysis and Ppattern classification. Menlo Park, CA: Stanford Research Institute; 1965.

Watt A, Policarpo F. The computer Imag. UK: Addison-Wesley; 1998. p. 654-60.

Ammeraal L. Computer graphics for java programmers. [s.l.]: John Wiley & Sons; 1998. p. 113-25.

Foley JD, van Dam A, Feiner SK, Hughes JF. Computer graphics: principles and practice. 2ª ed. USA: Addison-Wesley; 1996. p. 229-83.




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2011.v2.n4.187

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.