PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA LEISHMANIOSE VISCERAL HUMANA NAS REGIÕES DE SAÚDE DO NORTE DE MINAS GERAIS

Hildeth Maísa Torres Farias, Josianne Dias Gusmão, Rosane Versiani de Aguilar, Samara Frantheisca Almeida Barbosa

Resumo


Objetivo: Analisar o perfil epidemiológico da Leishmaniose Visceral Humana (LVH). Metodologia: estudo descritivo, retrospectivo, transversal, abordagem quantitativa. Nesta pesquisa foram utilizadas informações de casos de LVH notificados na ficha de notificação/investigação do Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN, disponíveis no banco de dados públicos do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde, da região ampliada de saúde dos municípios do Norte de Minas Gerais, no período de 2011 a 2015, sendo computados 376 casos. Coletados em uma planilha elaborada pelas autoras. Resultados: Constatou-se que a faixa etária mais acometida foi de 1 a 4 anos de idade; predominância do sexo masculino e da população urbana. Houve um aumento do número de casos notificados de letalidade de 2011 a 2014 com declínio em 2015. Conclusões: Percebeu-se que a taxa de morbidade e mortalidade por Leishmaniose Visceral Humana na região Norte de Minas ainda encontram-se elevadas. Faz-se essencial a sistematização de estratégicas para a redução da incidência e letalidade para a população do Norte de Minas.

Descritores: Leishmaniose Visce¬ral; Perfil de Saúde; Epidemiologia; Incidência.

EPIDEMIOLOGICAL PROFILE OF HUMAN VISCERAL LEISHMANIASIS IN THE HEALTH REGIONS OF NORTHERN MINAS GERAIS

Objective: To analyze the epidemiological profile of Human Visceral Leishmaniasis (LVH). Methodology: descriptive, retrospective, cross - sectional study, quantitative approach. In this research, information on LVH cases reported in the notification / investigation form of the SINAN Notification Disease Information System was used in the public database of the Department of Informatics of the Unified Health System, the expanded health region in the municipalities of the North of Minas Gerais, in the period from 2011 to 2015, resulting in 376 cases. Collected in a spreadsheet prepared by the authors. Results: It was verified that the most affected age group was 1 to 4 years of age; prevalence of males and the urban population. There was an increase in the number of reported cases of lethality from 2011 to 2014 with a decline in 2015. Conclusions: It was noticed that the rate of morbidity and mortality by Human Visceral Leishmaniasis in the Northern region of Minas Gerais is still high. It is essential to systematize strategies to reduce incidence and lethality for the population of North Minas.

Descriptors: Leishmaniasis Visceral; Health Profile; Epidemiology; Incidence.

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE LA LEISHMANIASIS VISCERAL HUMANA EN LAS REGIONES DE SALUD DEL NORTE DE MINAS GERAIS

Objetivo: Analizar el perfil epidemiológico de la Leishmaniasis Visceral Humana (LVH) en los municipios de la región ampliada de salud Norte de Minas Gerais en el período de 2011 a 2015. Metodología: estudio descriptivo, retrospectivo, transversal, abordaje cuantitativo. Se utilizaron los datos del Sistema de Información de Agravios de Notificación del Ministerio de Salud, disponibles en el banco de datos públicos del Departamento de Informática del Sistema Único de Salud, resultando 376 casos. Resultados: Se constató que el grupo de edad más acometida fue de 1 a 4 años de edad; el predominio del sexo masculino y de la población urbana. Se ha producido un aumento del número de casos notificados de mortalidad de 2011 a 2014 con descenso en 2015. Conclusiones: Se percibió que la tasa de morbilidad y mortalidad por Leishmaniosis Visceral Humana en la región Norte de Minas sigue siendo elevada. Se hace esencial la sistematización de estrategias para la reducción de la incidencia y letalidad para la población del Norte de Minas.

Descriptores: Leishmaniasis Visceral; Perfil de Salud; Epidemiología; Incidencia.


Texto completo:

PDF

Referências


Cardim MFM, Guirado MM, Dibo MR, Chiaravalloti Neto F. Leishmaniose visceral no estado de São Paulo, Brasil: análise espacial e espaço-temporal. Rev Saúde Pública. 2016; 50 (48):1-11.

Barbosa MN, Guimarães EAA, Luz ZMP. Avaliação de estratégia de organização de serviços de saúde para prevenção e controle da leishmaniose visceral. Epidemiol Serv Saúde 2016; 25(4):563- 74.

Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação- Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. Guia de Vigilância em Saúde. Brasília (DF), 2016.773 p.

Werneck GL. Controle da leishmaniose visceral no Brasil: o fim de um ciclo?. Cad Saúde Pública. 2016; 32(6):eED010616. 5. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Leishmaniose visceral: recomendações clínicas para redução da letalidade. Brasília (DF); 2011.

Toledo CRS, Almeida AS, Chaves SAM, Sabroza PC, Toledo LM, Caldas JP. Vulnerabilidade à transmissão da leishmaniose visceral humana em área urbana brasileira. Rev Saúde Pública. 2017; 51(49): 1-11.

Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde- DATASUS. [cited 2017 Dec 10]. Available from http://tabnet.datasus. gov.br/cgi/deftohtm.exe?sim/cnv/obt10uf.def.

SES-MG – Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. SRS Montes Claros. [Internet]. SRS Montes Claros; [atualizada em 01 fev 2017]; [cited 2017 Dec 06]. Available from: http://www. saude.mg.gov.br/component/gmg/page/217-srs-montes-claros- sesmg.

Silva Júnior SHA, Mota JC, Silva RS, Campos MR, Schramm JMA. Descrição dos registros repetidos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação, Brasil, 2008-2009. Epidemiol Serv Saúde. 2016; 25(3): 487-498.

Ortiz RC, Anversa L. Epidemiologia da Leishmaniose visceral em Bauru, São Paulo, no período de 2004 a 2012: um estudo descritivo. Epidemiol Serv Saúde. 2015; 24(1):97-104.

Barbosa, IR. Leishmaniose visceral humana no município de Natal-RN: análise clínico-epidemiológica e espacial. Rev Ciência Plural. 2016; 2(1):89-101.

Rodrigues ACM, Melo ACFL, Júnior ADS, Franco SO, Fernanda C.M. Rondon FCM, Bevilaqua CML. Epidemiologia da leishmaniose visceral no município de Fortaleza, Ceará. Pesq Vet Bras [Internet]. 2017; 37(10):1119-1124. [cited 2018 Nov 19]. Available from http://www.scielo.br/pdf/pvb/v37n10/1678-5150-pvb- 37-10-01119.pdf

Silva PL, Alves TL, Teixeira PN, Pereira JS, Gomes MTV, Rios MA. Epidemiologia da Leishmaniose Visceral em um município da Bahia. Rev Saúde Com 2017; 13(3): 933-940.

Von Zuben APB, Donalísio MR. Dificuldades na execução das diretrizes do Programa de Vigilância e Controle da Leishmaniose Visceral em grandes municípios brasileiros. Cad Saúde Pública. 2016; 32(6):e00087415.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. [Internet]. [acesso em 19 Nov 2018]. Available from https://www.ibge. gov.br/estatisticas-novoportal/por-cidade-estado-estatisticas. html?t=destaques&c=31

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 204, de 17 de fevereiro de 2016. Define a Lista Nacional de Notificação Compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública nos serviços de saúde públicos e privados em todo o território nacional, nos termos do anexo, e dá outras providências. Brasília, 2016.

Backes DS, Büscher A. Qualidade do Cuidado na Perspectiva da Rede Alemã de Enfermagem. Enferm Foco [Internet]. 2015; 6 (1/4): 77-81 [cited 2019 Apr 10]. Available from http://revista. cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/582/263




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2019.v10.n2.1887

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.