Violência Obstétrica: convergências e divergências entre acadêmicos de enfermagem e medicina

Solana Nunes Vieira, Brenda Alice Andrade Vidigal, António Manuel Sousa, Leonardo Naves dos Reis, Elizabeth Teixeira, Milaine Nunes Gomes Vasconcelos

Resumo


Objetivo: Investigar conceitos, compreensão e reconhecimento da violência obstétrica. Metodologia: Estudo analítico, transversal, com abordagem quantitativa, realizado em uma universidade pública, entre novembro de 2017 a abril de 2018. A amostra foi de 220 acadêmicos, sendo 76 do curso de enfermagem e 144 do curso de medicina. Os dados foram coletados por meio de questionário. Para análise adotou-se os valores absolutos, percentuais e aplicou-se o teste t de Student para significância estatística. Resultados: Os acadêmicos convergem no que tange ao reconhecimento das agressões psicológicas, verbais e a proibição da presença de acompanhante. Divergem no que se refere à: procedimentos e condutas que para uns é rotina na prática obstétrica, não sendo considerados violência obstétrica; inclusão da temática na grade curricular; discussão da temática em sala de aula. Conclusão: Os acadêmicos apresentaram mais divergências que convergências. Assim, há necessidade de sensibilização e reforço da discussão da temática violência obstétrica.

Descritores: Violência, Obstetrícia, Conhecimento, Universidades.


Texto completo:

PDF

Referências


Martins AC, Barros GM. Will you give birth in pain? Integrative review of obstetric violence in Brazilian public units. Rev Dor [Internet]. 2016 [cited 2018 June 13]; 17(3): 215-8. Available from: http://www.scielo.br/pdf/rdor/v17n3/1806-0013-rdor-17-03-0215.pdf

Ministério da Saúde (BR), Gabinete do Ministro. Portaria nº 569, de 1º de Junho de 2000. Instituir o Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento, no âmbito do Sistema Único de Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2000 [cited 2018 Mar 21]. Available from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2000/prt0569_01_06_2000_rep.html

Souza AL, Silva LC, Alves RN, Alarcão ANJ. Factors associated with obstetric violence: An integrative review of the literature. Rev ciênc méd [Internet]. 2016 [cited 2018 June 15]; 25(3):115-28. Available from: https://seer.sis.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/cienciasmedicas/article/view/3641/2486

Diniz CSG, Niy DY, Andresso HFA, Carvalho PCA, Salgado HO. The vagina-school: interdisciplinary seminar on violence against woman in the teaching of the health professions. Interface comun saúde educ [Internet]. 2016 [cited 2018 Aug 15]; 20(56):253-9. Available from: http://www.scielo.br/pdf/icse/v20n56/1807-5762-icse-20-56-0253.pdf

Diniz SG, Salgado HO, Andrezzo HFA, Carvalho PGC, Carvalho PCA, Aguiar CA, et al. Abuse and disrespect in childbirth care as a public health issue in Brazil: origins, definitions, impactas on maternal health, and proposals for its prevention. J Hum Growth Dev [Internet]. 2015 [cited 2018 July 29]; 25(3):377-84. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbcdh/v25n3/19.pdf

Ministério da Saúde (BR), Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2012 [cited 2018 June 18]. Available from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Sposito MP, Souza R, Silva FA. The research on young people in Brazil: setting new challenges from quantitative data. Educ Pesqui [Internet]. 2018 [cited 2018 July 18]; 44:e170308. Available from: http://www.scielo.br/pdf/ep/v44/en_1517-9702-ep-S1678-4634201712170308.pdf

Barbosa GC, Meneguim S, Lima SAM, Moreno V. National Policy of Humanization and education of health care professionals: integrative review.. Rev Bras Enferm [Internet]. 2013 [cited 2018 June 18]; 66(1):123-7. Available from: http://www.scielo.br/pdf/reben/v66n1/v66n1a19.pdf

Pasche DF, Vilela MEA, Giovanni MD, Almeida PVB, Netto TLF. Rede Cegonha: challenges of cultural changes in obstetric and neonatal practices. Divulg saúde debate [Internet]. 2014 [cited 2018 June 15]; (52):58-71.

Possati AB, Prates LA, Cremonese L, Scarton J, Alves CN, Ressel LB. Humanization of childbirth: meanings and perceptions of nurses. Esc Anna Nery Rev Enferm [Internet]. 2017 [cited 2018 July 14]; 21(4):1-6. Available from: http://www.scielo.br/pdf/ean/v21n4/1414-8145-ean-2177-9465-EAN-2016-0366.pdf

Rebello MTMP, Rodrigues Neto JF. The humanization of childbirth care from the perspective of medical students. Rev bras educ med [Internet]. 2012 [cited 2018 June 15]; 36(2):188-97. Available from: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v36n2/06.pdf

Palma CC, Donelli TMS. Obstetric violence in Brazilian womans. Rev Psico (Porto Alegre) [Internet]. 2017 [cited 2018 June 28]; 48(3):216-30. Available from: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/25161/pdf

Santos LM, Santos LMS, Brandão MM, Cerqueira EAC, Ramos MSX, Carvalho ESS. Association between perineorrhaphy and perineal problems, habitual activities and physiological needs affected. Rev Cuid [Internet]; 2018 [cited 2018 June 25]; 9(2):2233-44. Available from: https://www.revistacuidarte.org/index.php/cuidarte/article/view/530/964

Costa ML, Pinheiro NM, Santos LFP, Costa SAA, Fernandes AMG. Episiotomia no parto normal: incidência e complicações. Carpe Diem [Internet]. 2015 [cited 2018 Jan 22]; 13(1): 173-87. Available from: https://periodicos.unifacex.com.br/Revista/article/view/655/pdf

Ministério da Saúde (BR), Fundação Oswaldo Cruz. Nascer no Brasil: Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2014 [cited 2018 June 25]. Available from: http://www6.ensp.fiocruz.br/nascerbrasil/

Costa FL, Cintra HMP, Azevedo FHC. Perception of Nursing Academics on Obstetric Violence. Rev Saúde Foco [Internet]. 2017 [cited 2018 Aug 02]; 4(2):71-103. Available from: http://www4.fsanet.com.br/revista/index.php/saudeemfoco/article/view/1508/491491504

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde. Diretrizes nacionais de assistência ao parto normal: versão resumida [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2017 [cited 2018 Aug 28]. Available from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacionais_assistencia_parto_normal.pdf

Biscegli TS, Grio JM, Melles LC, Ribeiro SRMI, Gonsaga RAT. Obstetrical violence: profile assistance of a state of São Paulo interior maternity school. CuidArte Enferm [Internet] 2015 [cited 2018 June 15]; 9(1):18-25. Available from: http://fundacaopadrealbino.org.br/facfipa/ner/pdf/Revistacuidarteenfermagem%20v.%209%20n.1%20%20jan.%20jun%202015.pdf

Lei 11.108, de 08 de abril de 2005. Altera a Lei nº 8.080 para garantir às parturientes o direito à presença de acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós-parto. Diário Oficial da União [Internet]. 2005 Apr 08 [cited 2018 June 19]; Seção 1. p. 1. Available from: http://www.planalto.gov.br/cciVil_03/_Ato2004-2006/2005/Lei/L11108.htm

Gonçalves AC, Rocha CM, Gouveia HG, Armellini CJ, Moretto VL, Moraes BA. The companion in the obstetrics centre of a university hospital in southern Brazil. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2015 [cited 2018 July 15]; 36(Spe):159-67. Available from: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v36nspe/0102-6933-rgenf-36-spe-0159.pdf




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2019.v10.n6.2068

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.