Depois da colostomia…vivências das pessoas portadoras

Clementina Fernandes Sousa, Dalila Cunha Brito, Maria Zita Pires Castelo Branco

Resumo


O estudo inscreve-se numa abordagem qualitativa. Vinte pessoas com colostomia e sete enfermeiros foram entrevistados entre junho e julho de 2009. Pretendeu-se identificar e analisar as percepções sobre a doença, as implicações de uma colostomia na vida das pessoas portadoras e a resposta de enfermagem comunitária. As pessoas colostomizadas têm necessidades próprias e, portanto, a atenção primária pode desempenhar um papel fundamental. A existência de consulta de estomaterapia nos centros de saúde é necessária.

Descritores: Colostomia, Necessidades, Cuidados de Enfermagem.

After colostomy...experiences of patients presenting colostomies

That is a qualitative study. Twenty patients presenting colostomy and 7 nurses were interviewed from June to July 2009. The aims were to identify and analyze the perceptions about disease, the colostomy implications on the patients’ daily life and the community nursing response. Patients presenting colostomy have their own needs and, therefore, community nursing can perform a fundamental role. So that requires enterostomal therapist nursing in health centers.

Descriptors: Colostomy, Needs, Nursing Care.

Después de la colostomía...experiencia de pacientes portadoras

Se trata de un estúdio com enfoque cualitativo. Se utilizó la entrevista a 20 personas con colostomía y 7 enfermeras, entre Junio y Julio de 2009, con objetivo de identificar y analizar las percepciones sobre la enfermedad, las implicaciones de una colostomía para las personas portadoras y la respuesta de enfermería comunitaria. Las personas tienen necesidades propias y, por lo tanto, la atención primaria puede desempeñar un papel clave y es fundamental la consulta de estoma terapia en los centros de salud.

Descriptores: Colostomía, Necesidades, Atención en Enfermería.

Texto completo:

PDF

Referências


Borwell B. Continuity of care for the stoma patient: psychological considerations. Br J Community Nurs. 2009;14(8):330-1.

Fulhan J. A guide to caring for patients with a newly formed stoma in the acute hospital setting. Gastrointest Nurs. 2008;6(8):14–23.

Haugen VBD, Savik K. Perioperative factors that long-term adjustment to an incontinent ostomy. J Wound Ostomy Continence Nurs. 2006;33(5):525-35.

Vala J. A análise de conteúdo. In: Metodologia das ciências sociais. 3ª ed. Porto: Afrontamento; 1989. p. 101-26

Lessard-Herbert M, Goyette G, Boutin G. Investigação qualitativa, fundamentos e práticas. Lisboa: Instituto Piaget; 1994. p. 107-22.

Globocan 2008. Colorectal Cancer Incidence and Mortality Worldwide in 2008 [Internet, ccitado em 2011 fev 10]. Disponível em: http://globocan.iarc.fr/factsheets/cancers/colorectal.asp.

Alves LC. Correlação entre adaptação psicossocial à colostomia permanente e a resposta psicológica ao câncer [Internet, citado em 2011 nov 13]. Disponível em http://www.unifest.br/dpsiq/polbr/ppm/orginal.

Menezes APS, Quintana JF. A Percepção do indivíduo estomizado quanto à sua situação. RBPS. 2008;21(1):13-8.

Silva AL, Shimizu HE. O significado da mudança no modo de vida da pessoa com estomia intestinal definitiva. Rev Latinoam Enferm. 2006;14(4):483-90.

Brown H, Randle J. Living with a stoma: a review of the literature. J Clin Nurs. 2005;14(1):74-81.

Kiliç E, Taycan O, Belli AK, Ozmen M. The effect of permanent ostomy on body image, self-esteem, marital adjustment, and sexual functioning. Turk J Psychiat. 2007;18(4):302-10.

Schmidt C, Bestmann B, Lindemann H, Küchler T, Löhnert M, Kremer B. Quality of life and sexuality after surgery for rectal cancer-a follow-up study. Zentralbl Chir. 2005;130(5):393-9.

Hughes MK. Alterations of sexual function in women with cancer. Semin Oncol Nurs. 2005;24(2):91-101.

Goffman E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4ª ed. Rio de Janeiro: LTC; 1988. p. 51-113.

Santos VL, Sawaia BB. A bolsa na mediação “estar ostomizado” - “estar profissional”: análise de uma estratégia pedagógica. Rev Latinoam Enferm. 2000;8(3):40-50.

Tix AP, Frazier PA. The use of religious coping during stressful life events: main effects, moderation and meditacion. J Consult Clin Psychol. 1998;66(2):411-22.

Barbutti RCS, Silva MCPS, Abreu MAL. Ostomia, uma difícil adaptação. Rev SBPH. 2008;11(2):27-39.




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2012.v3.n1.213

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.