Dimensionamento de profissionais de enfermagem da clínica médica de um hospital universitário

Lillian Dias Castilho Siqueira, Michel Coutinho dos Santos, Igor tadeu de Siqueira Calmon, Pedro Cubas Siqueira Junior

Resumo


Objetivo: caracterizar o perfil dos pacientes e dimensionar o quantitativo de profissionais de enfermagem para a unidade de clínica médica. Método: Estudo descritivo e transversal em que os pacientes foram classificados de acordo com instrumento referendado pela Resolução COFEN no 543/2017, e em seguida, proposto o dimensionamento de acordo com a mesma Resolução. Resultados:  das 3415 classificações realizadas, 35,8% foram pacientes de cuidados mínimos, 28,6% cuidados intermediários, 20,9% alta dependência, 14,1% cuidados semi-intensivos e 0,6% cuidados intensivos.0 Evidenciou-se déficit de cinco enfermeiros em relação à recomendação do COFEN e superávit de 12 técnicos/auxiliares de enfermagem. Conclusão: Evidenciou-se superávit da equipe disponível, porém, com diferenças entre as categorias profissionais. Houve déficit de cinco enfermeiros e superávit de 12 técnicos/auxiliares de enfermagem. O estudo pode contribuir na disseminação da temática à enfermagem com vistas à busca de melhores resultados assistenciais e condições de trabalho satisfatórias.


Texto completo:

PDF

Referências


Pinto DM, Schons ES, Busanello JB, Costa VZ. Segurança do paciente e a prevenção de lesões cutâneo-mucosas associadas aos dispositivos invasivos nas vias aéreas. Rev Esc Enferm USP. 2015; 49(5): 771-8. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420150000500010]

Branco LLWV, Beleza LO, Luna AA. Carga de trabalho de enfermagem em UTI neonatal: aplicação da ferramenta nursing activities score. Rev Fund Care Online. 2017; 9(1):144-151. doi: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2017. v9i1.144-151]

Vandresen L, Pires DEP, Lorenzetti J, Andrade SR. Classificação de pacientes e dimensionamento de profissionais de enfermagem: contribuições de uma tecnologia de gestão. Rev Gaúcha Enferm. 2018; 39: e2017-0107. doi: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2018.2017-0107]

Aiken LH, Sloane D, Griffiths P, Rafferty AM, Bruyneel L, McHugh M, et al. Nurs-ing skill mix in European hospitals: cross-sectional study of the association with mortality, patient ratings, and quality of care. BMJ Qual Saf. 2017 [cited 2018 Dec 5];26(7):559-68. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/ar-ticles/PMC5477662/pdf/bmjqs-2016-005567.pdf.

Cho E, Lee NJ, Kim EY, Kim S, Lee K, Park KO, et al. Nurse staffing level and overtime associated with patient safety, quality of care, and care left undone in hospitals: a cross-sectional study. Int J Nurs Stud. 2016 [cited 2018 Dec 12]; 60:263-71. Available from: http://www.journalofnursingstudies.com/ar¬ticle/S0020-7489(16)30056-6/pdf.

Fugulin FMT, Gaidzinski RR, Lima AFC. Dimensionamento de pessoal de enfer-magem em Instituições de Saúde. In: KurcganTP. Gerenciamento em enferma¬gem. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2016. p. 116-27.

Griffiths P, Ball J, Murrells T, Jones S, Rafferty AM. Registered nurse, healthcare support worker, medical staffing levels and mortality in English hospital trusts: a cross-sectional study. BMJ Open. 2016[citado em 2018 jan. 19]; 6(2): e008751. Disponível em: http://bmjopen.bmj.com/content/bmjopen/6/2/e008751.full.pdf.

Van den Heede K, Diya L, Lesaffre E, Vleugels A, Sermeus W. Increasing nurse staffing levels in Belgian cardiac surgery centres: a cost-effective patient safety intervention? JAN. 2010; 66(6):1291-96. doi: https://doi.org/10.1111/j1365-2648.2010.05307.x]

Conselho Federal de Enfermagem (COFEN). Resolução COFEN no 543, de abril de 2017. Atualiza e estabelece parâmetros para o dimensionamento do quadro de profissionais de enfermagem nos serviços/locais em que são realizadas atividades de enfermagem [Internet]. 2017 [cited 2018 nov 31]. Available from: http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-5432017_51440.html.

Gil GP, Vituri DW, Haddad MCL, Vannuchi MTO. Dimensionamento de pessoal de enfermagem e grau de dependência do paciente em um hospital universitário. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2011 jul/set [cited Jan 9, 2018]; 13(3):456-63. Available from: http://www.fen.ufg.br/revista/v13/n3/v13n3a11.htm.

Ganley L, Gloster AS. An overview of triage in the emergency department. Nurs Stand. [Internet]. 2011 [cited 2018 Dez 17]; 26(12):49-56. Available from: http://dx.doi.org/10.7748/ns.26.12.49.s55.

Galimberti S, Rebora P, Mauro S, D’Ilio I, Vigano R, Moiset C, et al. The SIPI for measuring complexity in nursing care: evaluation study. Int J Nurs Stud [Internet]. 2012 Mar [cited 2018 Dez 17]; 49(3):320–26. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.ijnurstu.2011.09.016.

Fugulin FMT, Lima AFC, Castilho V, Bochembuzio L, Costa JA, Castro L, et al. Cost of nursing staffing adequacy in a neonatal unit. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2011 [cited 2019 Jan 18]; 45 (Spec No):1582-8. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000700007.

Macedo CM, Machado VB. Dimensionamento da equipe de enfermagem na clínica médica de uma instituição hospitalar de ensino. Rev enferm UFPE on line. 2016; 10 (5):4271-8. doi: http://dx.doi.org/10.5205/reuol.9284-81146-1-SM.1005sup201614.

Fugulin FMT, Gaidzinski RR, Kurcgant P. Sistema de classificação de pacientes: identificação do perfil assistencial dos pacientes das unidades de internação do HU-USP. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2005; 13 (1): 72-8. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692005000100012.

Souza MS, Barlem JGT, Hirsch CD, Rocha LP, Neutzling BRS, Ramos AM. Dimensionamento e escalas de pessoal de enfermagem: competências dos enfermeiros. Enferm. Foco. 2018; 9 (2): 50-55.

Nobre IEAM, Barros LM, Gomes MLS, Silva LA, Lima ICS, Caetano JA. Sistema de classificação de pacientes de Fugulin: perfil assistencial da clínica médica. Rev enferm UFPE on line. 2017; 11 (4):1736-42.

Araujo MT, Velloso ISC, Queiroz CF, Henriques AVB. Dimensionamento de pessoal de enfermagem de uma unidade de clínica médica. RECOM. 2016; 6 (2): 2223-34.

Barbosa HB, Paiano LAG, Nicola AL, Fernandes LM. Nível de complexidade assistencial de pacientes e o quantitativo de profissionais de enfermagem. Rev Enferm UFSM. 2014; 4 (1): 29-37.

Ministério da Saúde (BR). Decreto nº 94.406, de 08 de junho de 1987. Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem e dá outras providências. [citado em 2019 jan. 03]. Disponível em: http://novo.portalcofen.gov.br/decreto-n-9440687_4173.html.

Aiken LH, Sloane DM, Bruyneel L, Heede VK, Griffiths P, Busse R, et al. Nurse staffing and education and hospital mortality in nine European countries: a ret-rospective observational study. Lancet. 2014;383(9931):1824-30. doi: http:// dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(13)62631-8.

Borges F, Bohrer CD, Bugs TV, Nicola AL, Tonini NS, Oliveira JLC. Dimensionamento de pessoal de enfermagem na UTI-Adulto de hospital universitário público. Cogitare Enferm. 2017[citado em 2018 jan.15];22(2): e50306. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v22i2.50306.

Dehghan-Nayeri N, Shali M, Navabi N, Ghaffari F. Perspectives of oncology unit nurse managers on missed nursing care: A qualitative study. Asia Pac J Oncol Nurs 2018;5:327-36.




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2019.v10.n4.2179

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.