Prática do autocuidado em prostitutas: aplicação do processo de enfermagem segundo a teoria de Orem

Isadora Marques Barbosa, Cássia Fernandes Coelho, Priscila de Souza Aquino, Ana Karina Bezerra Pinheiro

Resumo


Desde tempos remotos, as prostitutas sofrem preconceitos. Esse fato pode acarretar dificuldades de atendimento às necessidades peculiares. Utilizar teoria de enfermagem no atendimento a prostitutas faz-se relevante por proporcionar maior comunicação terapêutica, adequando-se à problemática da paciente. Objetivou-se aplicar o processo de enfermagem utilizando a Teoria de Orem a prostitutas. Estudo descritivo, realizado por meio de três visitas domiciliárias a cinco prostitutas, utilizando um formulário estruturado. Os resultados mostraram os diagnósticos mais prevalentes: estilo de vida sedentário, 5 (26,3%), manutenção ineficaz da saúde, 4 (21%), e risco de solidão, 3 (15,7%). Por meio da utilização da teoria, pôde-se investigar, detalhadamente, as alterações encontradas e traçar um plano de cuidados, bem como avaliar melhorias encontradas pós-intervenção. Concluiu-se que a associação de instrumentos da prática de enfermagem ao cuidado a essas mulheres é de grande valia para a promoção de sua saúde nas distintas interfaces.

Descritores: Autocuidado, Diagnóstico de Enfermagem, Prostituição.

Self-Care practice in prostitutes: applying the nursing process according to the Orem’s theory

Since the inception of the profession, the prostitutes suffer prejudice. This may cause difficulties in meeting the unique needs. Using the theory of nursing care to prostitutes becomes relevant because it provides greater therapeutic communication, adapting it to the problem of the patient. The objective was to apply the nursing process using the Orem’s theory to prostitutes. A descriptive study was carried out by means of three home visits to five prostitutes, using a structured form. The results showed the most prevalent diagnosis: Sedentary lifestyle 5 (26.3%), Ineffective health maintenance 4 (21%) and Risk for loneliness 3 (15.7%). By using the theory, it was possible to investigate the changes, draw a plan of care and evaluate improvements after the intervention. It was concluded that the combination of instruments of nursing practice in caring for these women is of great value to the promotion of their health in different visions.

Descriptors: Self Care, Nursing Diagnosis, Prostitution.

Practica del autocuidado en prostitutas: aplicacion del proceso de enfermería según la teoría de Orem

Desde el inicio de la profesión, las prostitutas fueron víctimas de los prejuicios. Esto puede causar dificultades para atender sus necesidades. Usar la teoría de los cuidados de enfermería a las prostitutas se vuelve relevante porque proporciona mayor comunicación terapéutica y adaptación al problema del paciente. El objetivo fue aplicar el proceso de enfermería utilizando la teoría de Orem a prostitutas. Estudio descriptivo, hecho en el periodo de febrero a abril de 2009, a través de tres visitas a domicilio a cinco prostitutas, utilizando un formulario estructurado. Los resultados mostraron los diagnósticos más frecuentes: Estilo de vida sedentario 5 (26,3%), Mantenimiento de la salud ineficaces 4 (21%) y Riesgo de soledad 3 (15,7%). Mediante el uso de la teoría puede ser investigado en detalle los cambios observados, elaborar un plan de atención, y evaluar mejoras después de la intervención. Se concluyó que la combinación de instrumentos de la práctica de enfermería en el cuidado de estas mujeres es de gran valor para la promoción de su salud en diferentes interfaces.

Descriptores: Autocuidado, Diagnóstico de Enfermería, Prostitución.

Texto completo:

PDF

Referências


Ferreira ABH. Dicionário Aurélio da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Positivo; 2004.

Wikipédia. Enciclopédia livre [Internet, ccitado em 14 out 2008]. http://pt.wikipedia.org/wiki/Prostitui%C3%A7%C3%A3o.

Rey L. Dicionário de termos técnicos de medicina e saúde. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2003.

Libório RMC. Adolescentes em situação de prostituição: uma análise sobre a exploração sexual comercial na sociedade contemporânea. Psicol Reflex Crit. 2005;18(3):413-20.

Torres GV, Davim RMB, Costa TNA. Prostituição: causas e perspectivas de futuro em um grupo de jovens. Rev Latinoam Enferm. 1999;7(3):9-15.

Ministério da Saúde (BR). Profissionais do sexo: documento referencial para ações de prevenção das DST e da Aids. Brasília: Ministério da Saúde; 2002.

Primo CC, Bom M, Silva PC. Atuação do enfermeiro no atendimento à mulher no programa saúde da família. Rev Enferm Uerj. 2008;16(1):76-82.

Fialho AVM, Pagliuca LMF. Mulher portadora de câncer: diagnósticos de enfermagem à luz da teoria do autocuidado de Orem. Rev Rene. 2000;1(1):46-50.

Sampaio FAA, Aquino PS, Araújo TL, Galvão MTG. Assistência de enfermagem a pacientes com colostomia: aplicação da teoria de Orem. Acta Paul Enferm. 2008;21(1):94-100.

George JB. Teorias de enfermagem. Porto Alegre: Artes Médicas Sul; 1993.

Santos I, Sarat CNF. Modalidades de aplicação da teoria do autocuidado de Orem em comunicações científicas de enfermagem brasileira. Rev Enferm Uerj. 2008;16(3):313-8.

Alfaro-Lefevre R. Aplicação do processo de enfermagem: promoção do cuidado colaborativo. Porto Alegre: Artmed; 2005.

Lobiondo-Wood G, Haber J. Pesquisa em enfermagem: métodos, avaliação crítica e utilização. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2001.

Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas; 2002.

North American Nursing Diagnosis Association. Diagnósticos de enfermagem da Nanda: definições e classificação 2007-2008. Porto Alegre: Artmed; 2008.

McCloskey JC, Bulechek GM. Nursing Interventions Classification (NIC). St. Louis: Mosby; 2000.

Silva JG, Gurgel AA, Frota MA, Vieira LJES, Valdés MTM. Promoção da saúde: possibilidade de superação das desigualdades sociais. Rev Enferm Uerj. 2008;16(3):421-5.

Ferreira MS, Najar AL. Programas e campanhas de promoção da atividade física. Ciênc Saúde Coletiva. 2006;10(Supl.):207-19.

Roper N, Logan WW, Tierney AJ. Modelo de enfermagem. Portugal: McGrawHill; 1995.

Santos LAS. Educação alimentar e nutricional no contexto da promoção de práticas alimentares saudáveis. Rev Nutr Puccamp. 2005;18(5):681-92.

Aquino PS. Desempenho das atividades de vida por prostitutas [dissertação]. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará; 2007.

Ministério da Saúde (BR). Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Passos ADC, Figueiredo JFC. Fatores de risco para DST entre prostitutas e travestis de Ribeirão Preto (SP), Brasil. Rev Panam Salud Publica. 2004;16(2):95-101.

Guimarães K, Merchán-Hamann E. Comercializando fantasias: a representação social da prostituição, dilemas da profissão e a construção da cidadania. Rev Estud Fem. 2005;13(3):525-44.

Schreiner L, Paim LL, Ramos F, Cunha Filho EV, Martins DM, Silva Junior CL, et al. Prevalência de sintomas depressivos em uma amostra de prostitutas de Porto Alegre. Rev Psiquiatr Rio Gd Sul. 2004;26(1):13-20.

Amaya A, Canaval GE, Viáfara E. Estigmatización de las trabajadoras sexuales: influencias en la salud. Colomb Med. 2005;36(3):65-74.




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2012.v3.n1.218

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.