PREVALÊNCIA DE LESÃO POR PRESSÃO EM PACIENTES INTERNADOS EM HOSPITAL PRIVADO DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Fernanda de Carvalho, Miguir Terezinha Vieccelli Donoso, Braulio Roberto Gonçalves Marinho Couto, Selme Silqueira de Matos, Lilian Kelly Barbosa Lima, Érica Pertussati

Resumo


Objetivo: identificar a prevalência de lesão por pressão em uma unidade de internação de hospital privado de Minas Gerais. Metodologia: estudo descritivo, transversal, de prevalência. Foi avaliada uma amostra de 169 pacientes internados no referido hospital. Resultados: da amostra de 169 pacientes, nove desenvolveram lesão por pressão, sendo que um paciente desenvolveu três lesões, totalizando 11 lesões na casuística. A prevalência foi de 5,3%. Três lesões foram classificadas como Estágio 1, sete como Estágio 2 e uma como Estágio 3. Conclusão: a taxa de prevalência observada estava abaixo da taxa dos trabalhos referenciados por este estudo. Esse dado pode estar relacionado a treinamento de manejo e prevenção de lesão por pressão, que foi ministrado aos profissionais de enfermagem do hospital em questão, durante o segundo semestre de 2017. Assim, a educação sobre o tema prevenção de lesão por pressão deve ser estimulada nas unidades de internação.

Descritores: lesão por pressão, cuidados de enfermagem, prevalência.


Texto completo:

PDF

Referências


Silva DRA, Bezerra SMG, Costa JP, Luz MBA, Lopes VCA, Noqueira LT. ; Curativos de lesões por pressão em pacientes críticos: análise de custos. Rev Esc Enferm USP. [Internet]. 2017 [citado 2019 Abr 3] ; 51: 03231. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v51/pt_1980-220X-reeusp-51-e03231.pdf

Otto C, Schumacher B, Wiese LPL, Ferro C, Rodrigues RA. Fatores de risco para o desenvolvimento de lesão por pressão em pacientes críticos. Enferm. Foco. [Internet]. 2019 [citado 2019 Abr 3]; 10(1):07-11. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/1323/485

National Pressure Ulcer Advisory Panel. Pressure Ulcer Stages Revised. Washington,

; Disponível em:http://WWW.npuap.org/about-us/

Galvão NS, Lopes Neto D, Oliveira APP. Aspectos epidemiológicos e clínicos de pacientes com úlcera por pressão internados em uma instituição hospitalar. Estima. [Internet]. 2015 [citado 2019 Fev 18]; 13(3):sp. Disponível em: https://www.revistaestima.com.br/index.php/estima/article/view/106

Melleiro MM, Tronchin DMR, Baptista CMC, Braga AT, Paulino A, Kurcgant P. Indicadores de prevalência de úlcera por pressão e incidência de queda de paciente em hospitais de ensino do município de São Paulo. Rev Esc Enferm USP. [Internet]. 2015 [citado 2019 Mar 01]; 49(Esp2):55-59. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v49nspe2/1980-220X-reeusp-49-spe2-0055.pdf

Ministério da Saúde (BR). Resolução – RDC Nº 36, de 25 de julho de 2013. Institui ações para a segurança do paciente em serviços de saúde e dá outros providências. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2013.

Serpa LF, Santos VLCG, Campanili TCGF, Queiroz M. Predictive Validity of the Braden Scale for Pressure Ulcer Risk in Critical Care Patients. Rev Latino-Am Enfermagem [Internet]. 2011 Fev [cited 2019 Fev 28]; 19(1):50-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v19n1/pt_08.pdf

Medeiros ABF, Lopes CHAF, Jorge MSB. Análise da prevenção e tratamento das úlceras por pressão propostos por enfermeiros. Rev Esc Enferm USP. [Internet]. 2009 [citado 2019 Mar 01]; 43(1):223-28. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342009000100029

Ascari RA, Veloso J, Silva OM, Kessler AMJ, Schwaab G. Úlcera por pressão: um desafio para a enfermagem. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research. [Internet]. 2014 [citado 2019 Abr 01]; 6(1):11-16. Disponível em: https://www.mastereditora.com.br/periodico/20140301_132755.pdf

Bernardes RM, Caliri MHL. Prevalência de úlcera por pressão em hospital de emergência: estudo transversal. Revista Estima. [Internet]. 2016 [citado 2019 Mar 03]; 14(2):99. Disponível em:

https://www.revistaestima.com.br/index.php/estima/article/view/383

Dantas ALM, Araújo JDB, Ferreira PC, Valença CN, Diniz KD, Carvalho ALB. Prevenção de Úlceras por Pressão Segundo a Perspectiva do Enfermeiro Intensivista. Rev. Enferm UFPE on line. [Internet]. 2013 [citado 2019 Mar 23]; 7(1): 706-12. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/7183

Fajardo-Gutierrez A. Medición en epidemiología: prevalencia, incidencia, riesgo, medidas de impacto. Rev. alerg. Méx. [Internet]. 2017 [citado 2019 Abr 03]; 64(1):109-20. Disponível em: http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2448-91902017000100109

Souza RG, Oliveira TL, Lima LR, Stival MM. Fatores associados à úlcera por pressão (UPP) em pacientes críticos: revisão integrativa da literatura. Universitas: Ciências da Saúde. [Internet]. 2016 [citado 2019 Fev 14]; 14(1):77-84. Disponível em: https://www.publicacoesacademicas.uniceub.br/cienciasaude/article/viewFile/3602/3072

Pessoa EFR, Rocha JGSC, Bezerra SMG. Prevalência de úlcera por pressão em pacientes acamados, cadastrados na Estratégia de Saúde da Família: um estudo de enfermagem. Revista Interdisciplinar NOVA FAPI. [Internet]. 2011 [citado 2019 Fev 13]; 4(1):14-18. Disponível em: https://revistainterdisciplinar.uninovafapi.edu.br/revistainterdisciplinar/v4n1/pesquisa/p2_v4n1.pdf

Borghardt AT, Prado TNP, Bicudo DSC, Bringuente MEO. Úlcera por pressão em pacientes críticos: incidência e fatores associados. Rev Bras Enferm. [Internet]. 2016 [citado 2019 Abr 03]; 69(3):460-7. Disponivel em: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690307i.

Luz SR, Lopacinski AC, Fraga R, Urban R.. Ùlceras de pressão. Geriatria & Gerontologia. [Internet]. 2010 [citado 2019 Mar 07]; 4(1):36-43. Disponivel em:

www.ggaging.com/export-pdf/296/v4n1a06.pdf

Blanes L, Duarte IS, Calil JÁ, Ferreira LM. Avaliação clínica e epidemiológica das úlceras por pressão em pacientes internados no Hospital. Rev Assoc Med Bras [Internet] 2004 [citado 2019 Abr 03]; 50(2):182-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ramb/v50n2/20781

Queiroz ACCM, Mota,DDCF, Bachion MM, Ferreira ACM. Úlceras por pressão em pacientes em cuidados paliativos domiciliares: prevalência e características. Rev. Esc. Enferm. USP. [Internet]. 2014 [citado 2019 Mar 07]; 48(2):264-71. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v48n2/pt_0080-6234-reeusp-48-02-264.pdf

Gomes FSL, Bastos MAR, Matozinhos FP, Temponi HR, Velazquez-Meléndez G. Avaliação de risco para úlcera por pressão em pacientes críticos. Rev. Esc. Enferm. USP. [Internet]. 2011 [citado 2019 Abr 03]; 45(2):313-18. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342011000200002

Matsuda LM et al.. Anotações/Registros de Enfermagem: instrumento de comunicação para a qualidade do cuidado? Revista de Eletrônica de Enfermagem. [Internet]. 2006 [citado 2019 Abr 03]; 8(3): 415-21. Disponível em:

http://www.fen.ufg.br/revista/revista8_3/v8n3a12.htm




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2019.v10.n4.2269

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.