INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM NA PREVENÇÃO DE EXTUBAÇÃO NÃO PROGRAMADA EM RECÉM-NASCIDOS: BUNDLE DE BOAS PRÁTICAS

Mayara Mesquita Mororo Pinto, Nádia Rodrigues de Sousa, Tayná Souza Ventura Maranhão, Karla Maria Carneiro Rolim, Fernanda Jorge Magalhães, Suzane Passos de Vasconcelos, Mirna de Albuquerque Frota, Henriqueta Ilda Martins Verganista Fernandes

Resumo


OBJETIVOS: identificar o conhecimento da equipe de Enfermagem acerca da extubação não programada (ENP), os fatores relacionados, as complicações/agravos e as intervenções de Enfermagem como medidas preventivas juntos ao recém-nascido de risco. METODOLOGIA: Pesquisa descritiva, qualitativa realizada na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de um hospital pediátrico de Fortaleza-Ceará, no período de julho a setembro de 2018. RESULTADOS: Evidenciou-se a necessidade de pactuação sobre o conceito de ENP entre a equipe. Dentre os principais fatores relacionados teve-se: excesso de manuseio e ausência de comunicação efetiva na equipe. Como intervenções preventivas ressaltou-se o posicionamento do RN e a fixação adequada do tubo. CONCLUSÃO: a equipe de enfermagem tem preciosos saberes e intervenções que puderam ser visualizados como medidas de boas práticas na prevenção das ENP para construção de um Bundle.

Descritores: Recém-Nascido, Extubação, Cuidados de Enfermagem, Processo de Enfermagem, Prática Clínica Baseada em Evidências


Texto completo:

PDF

Referências


Hu X, et al. Prevention of neonatal unplanned extubations in the neonatal intensive care unit: a best practice implementation Project. JBI Database System Rev Implement Rep. v.15, n. 11. P. 2789-2798, 2017.

Castellões TMFW, Silva LD. Ações de Enfermagem para a prevenção da extubação acidental. Revista Brasileira de Enfermagem, v.62, n.4, p.540-545, 2009.

Conselho Federal de Enfermagem (BR). Resolução Nº 358 do Conselho Federal de Enfermagem, de 15 de outubro de 2009 (BR). [internet]. 2009 [cited 2016 jan 21 ]. Available from: http://www.cofen.gov.br/ resoluo-cofen-3582009_4384.html

Chanes M. SAE descomplicada. 1. Ed. São Paulo: Guanabara Koogan, 2018.

Campos ACS, Cardoso MVLML. O recém-nascido sob fototerapia: a percepção da mãe. Revista Latino-americana de Enfermagem, v.12, n.4, p.606-613, 2004.

Lanzillott LS, et al. Adverse events and other incidents in neonatal intensive care units. Ciência & Saúde Coletiva, v.20, n.3, p.937-946, 2015.

NANDA - International. Nursing diagnoses: definitions & classification 2018- 2020. Philadelphia: Wiley-Blackwell; 2018. 1187 p.

Barbosa AL, Campos ACS, Chaves EMC. Complicações não clínicas da ventilação mecânica: ênfase no cuidado de Enfermagem neonatal. Acta Paulista de Enfermagem, v.19, n.4, p.439-443, 2006.

Polit DF, Beck CT. Fundamentos da pesquisa em Enfermagem: avaliação de evidências para a prática de Enfermagem. 7ªed. Porto Alegre: ArtMed, 2011.

Minayo MCS. Amostragem e saturação em pesquisa qualitativa: consensos e controvérsias. Revista Pesquisa Qualitativa [internet] 2017 [cited 2018 out 05] 5(2):01-12. Available from: .

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução Nº 466 de 12 de dezembro de 2012. Dispõe sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União [da] República Federativa do Brasil. Brasília, 2013.

Kiekkas D, et al. Unplanned extubation in critically ill adults: clinical review. Nursing Critical Care, v. 18, n. 3, p. 123-34, maio, 2013.

Merkel L. et al. Reducing Unplanned Extubations in the NICU. Pediatrics, 2014; 133(5): 1367-72.

Cardoso SNM, et al. Desafios e estratégias das Enfermeiras na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Rev Rene, 2010; 11(4): 76-84.

Rodrigues YCJ, et al. Ventilação mecânica: evidências para o cuidado de Enfermagem. Escola Anna Nery, 2012; 16(4): 789-95.

Sousa MSMS, Vieira LN, Carvalho SB, Monte NL. Os cuidados de Enfermagem com os recém-nascidos na UTI. Rev. Saúde em Foco, 2016; 3(1): 94-106.

Dos Santos MSN, et al. Relação familiar na unidade de terapia intensiva neonatal: revisão integrativa. Enfermagem em Foco, 2018; 9(1).

NÓBREGA ASM, et al. Tecnologias de enfermagem no manejo da dor em recém-nascidos na unidade de terapia intensiva neonatal. Enfermagem em Foco, 2018; 9(2).




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2019.v10.n7.2423

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.