OCORRÊNCIA DO DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM SÍNDROME DE TERMINALIDADE EM PACIENTES ONCOLÓGICOS

ANTONIA RIOS ALMEIDA, Rosimere Rosimere Ferreira Santana Ferreira Santana, Dayana Medeiros do Amaral Passarelles, Daniel Espirito Santo Silva

Resumo


Objetivo: identificar o diagnóstico de enfermagem Síndrome de Terminalidade em pacientes em cuidados paliativos oncológicos. Método: estudo clínico transversal desenvolvido no Instituto Nacional do Câncer – INCA com 217 pacientes. Resultados: maioria do sexo feminino (57,1%), idade 61 a 70 (33,6%), câncer de orofaringe (23,6%) mama (23,4%). Os principais diagnósticos encontrados como componentes da síndrome foram: Dor crônica (83,9%); Náusea (76%) e Nutrição desequilibrada: menor que as necessidades corporais (76%); Fadiga (75,5%), Ansiedade (72,0%), Padrão respiratório ineficaz (44,0%); Conforto prejudicado (53,4%), Sofrimento espiritual (42,0%), Constipação (49,0%); Distúrbio do padrão do sono (28,5%). Como fatores relacionados: Cuidados paliativos (100%) e Doença em estágio avançado (100%) Conclusões: estudo demonstrou a ocorrência da Síndrome de terminalidade de modo simultâneo e em conjunto. Com isso o enfermeiro tem em seu processo de enfermagem um diagnóstico sindrômico que proporciona julgamento clínico acurado em cuidados paliativos.

Descritores: Cuidados paliativos, Diagnóstico de enfermagem, Cuidados Paliativos na Terminalidade da Vida.


Texto completo:

PDF

Referências


Diagnósticos de Enfermagem da NANDA: definições e classificações 2018-2020/ NANDA internacional; Organizadoras: T. Healther Herdman, Shigemi Kamitsuru; tradução; Regina Machado Garcez; revisão técnica: Alba Lucia Bottura Leite de Barros [et. al.] Porta Alegre: Artmed, 2015. xx, 468p. il. 23 cm. p. 16.

Manual de residência de cuidados paliativos. Abordagem multidisciplinar. Vários editores. Barueri-SP. Ed. Manole, 2018.

Organização Mundial da Saúde (OMS). 2017. http://www.who.int/eportuguese/partners/pt/. Acesso em 21/05/2017.

Manual de Oncologia Clínica do Brasil (MOC): Cuidados paliativos. 2017. Editores: Ferrian AM, Prado BL. Editores da série MOC: Buzaid AC, Maluf FC.

Campbell, ML. Nurse to nurse: Cuidados paliativos em enfermagem. Tradução: Ritomy M. Revisão técnica: Ambrosini L, VieiraRW. Porto Alegre: AMGH ltda; 2011.

ECOG-Acrin- Cancer Rearch Group: Reshaping the fututre of patient care. 2017. cited 2018 march 10; Available from: http://ecog-acrin.org/resources/ecog-performance-status.

Monteiro DR, Almeida MA, Kruse MHL. Tradução e adaptação transcultural do instrumento Edmonton Symptom Assessment System para uso em cuidados paliativos. Rev. Gaúcha Enferm. [Internet]. 2013 June [cited 2018 Mar 10] ; 34( 2 ): 163-171. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472013000200021&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472013000200021.

Silva RS, Amaral JB, Malagutti W. Enfermagem em cuidados paliativos: cuidando para uma boa morte. São Paulo: Martinari; 2019

FRIELD, A.P. Discovering Statistics Using SPSS (Introducing Statistical Methods series). London, England: SAGE, 2009

TRIOLA, M.F. Introdução à Estatística. 10. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2011

MEDRONHO, R.A.; et al. Epidemiologia. 2ª ed. São Paulo: Atheneu, 2009

Ward Sullivan C, Leutwyler H, Dunn LB, Miaskowski C. A review of the literature on symptom clusters in studies that included oncology patients receiving primary or adjuvant chemotherapy. J Clin Nurs. 2018 Feb;27(3-4):516-545. doi: 10.1111/jocn.14057. Epub 2017 Oct 10. PubMed PMID: 28859255; PubMed Central PMCID: PMC5823712. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5823712/

Hui D, Dev R, Bruera E. The last days of life: symptom burden and impact on nutrition and hydration in cancer patients. Curr Opin Support Palliat Care. 2015 Dec;9(4):346-54. doi: 10.1097/SPC.0000000000000171. PubMed PMID: 26509860; PubMed Central PMCID: PMC4792116. Web 2019 may 26. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4792116/

Cooper C, Burden ST, Cheng H, Molassiotis A. Understanding and managing cancer-related weight loss and anorexia: insights from a systematic review of qualitative research. J Cachexia Sarcopenia Muscle. 2015 Mar;6(1):99-111. doi: 10.1002/jcsm.12010. Epub 2015 Mar 31. PubMed PMID: 26136417; PubMed Central PMCID: PMC4435102. Web 2019 may 26. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4435102/

Bausewein C, Simon ST. Shortness of breath and cough in patients in palliative care. Dtsch Arztebl Int. 2013 Aug;110(33-34):563-71; quiz 572. doi: 10.3238/arztebl.2013.0563. Epub 2013 Aug 19. PubMed PMID: 24069091; PubMed Central PMCID: PMC3782037. Web 2019 may 26. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3782037/.

Syrjala KL. et. al. Psychological and Behavioral approaches to câncer pain management. Journal of Clinical Oncology 32, no. 16 (June 1 2014) 1703-1711. DOI: 10.1200/JCO.2013.54.4825. Web 2019 may 26. Available from: https://ascopubs.org/doi/full/10.1200/JCO.2013.54.4825

Sociedade brasileira de geriatria e gerontologia (SBGG). Divulgando índice de qualidade de morte 2015, da economist intelligence unit. São Paulo. Acesso em 10 de junho de 2019. Disponível: http://www.sbgg-sp.com.br/pro/divulgado-indice-de-qualidade-de-morte-2015-da-economist-intelligence-unit/

Instituto Nacional de Câncer. Cuidados paliativos oncológicos: controle da dor [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2001. [citado 2014 Jan 20]. Disponível em: < http://www1.inca.gov.br/publicacoes/manual_dor.pdf. [ Links ]

Menezes PA. Lima CP. Sedação paliativa em fim de vida: debates em torno das prescrições médicas. REVISTA M. Rio de Janeiro, v. 3, n. 6 p. 405-420, jul./dez. 2018. Acesso em junho de 2019; Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/revistam/article/view/9047/7777.

Castro E K, Barreto SM. Critérios de Médicos Oncologistas para Signi Encaminhamento Psicológico em Cuidados Paliativos. Psicologia: Ciência e Profissão, 2015 35(1), 69-82. Acesso em 10 de março de 2018. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-98932015000100069&script=sci_arttext.

- Cogo, SB, Lunardi, VL, Nietsche EA. Considerações acerca da atuação do enfermeiro na aplicabilidade das diretivas antecipadas de vontade. Enferm. Foco 2017; 8 (2): 26-30. Acesso em julho de 2019, disponível em; http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/1061/376pdf.




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2019.v10.n7.2438

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.