Violência obstétrica e os cuidados de enfermagem: reflexões a partir da literatura

Antonia Tainá Bezerra Castro, Sibele Pontes Rocha

Resumo


Objetivo: Identificar na literatura cientifica o que aponta sobre a violência obstétrica e os cuidados de enfermagem para prevenção desta ocorrência. Método: Trata-se de uma revisão de integrativa, norteada pela pergunta “Quais as práticas de violência obstétrica e suas implicações no bem-estar das mulheres, e quais os cuidados de enfermagem frente à violência obstétrica?” Os dados foram coletados em abril de 2019, na Biblioteca Virtual de Saúde (BVS) e no Portal Capes, a partir de dois cruzamentos, utilizando os descritores em ciências da   saúde   (DeCs):   Violência;   Parto;   Parto   humanizado;    Assistência    de Enfermagem. Resultados: Constatou-se a ocorrência de humilhações no momento do parto e a realização de procedimentos desnecessários. O cuidado de enfermagem destaca-se na redução destes procedimentos invasivos, através de métodos não farmacológicos, o acolhimento digno, escuta ativa e apoio físico e emocional. Conclusão: É necessário politicas públicas eficazes e o fornecimento de capacitação para os profissionais de enfermagem, tendo em vista uma assistência humanizada.

Descritores: Violência; Cuidados de Enfermagem; Parto Humanizado; Parto.

 

 


Texto completo:

PDF

Referências


Leal PYS, Lima ALV, Silva FA, Soares LFDP, Santana RL, Pereira A. Percepção de enfermeiras obstétricas acerca da violência obstétrica. Cogitare Enfermagem [internet]. 2018 [acesso em 15 abril de 2019]; 23(2): 1-7 Disponível em: http://docs.bvsalud.org/biblioref/2018/05/883486/52473-231497-1-pb.pdf

Andrade NOP, Silva PQS, Diniz MMC, Caminha CFM. Fatores associados à violência obstétrica na assistência ao parto vaginal em uma maternidade de alta complexidade em Recife, Pernambuco. Rev. Bras. Saude Mater. Infant. [internet]. 2016 [acesso em 15 de abril de 2019]; 16(1): 1-9 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbsmi/v16n1/1519-3829-rbsmi- 16-01-0029.pdf

Biscegli ST, Grio MJ, Melles CL, Ribeiro IMRS, Gonsaga TAR. Violencia obstétrica: perfil assistencial de uma maternidade escolado interior do Estado de São Paulo, Rev. Cuidarte. Enfer. [internet]. 2015 [acesso em 15 de abril de 2019]; 9 (1): 18- 25 Disponível em: http://fundacaopadrealbino.org.br/facfipa/ner/pdf/Revistacuidarteenfermagem%20v.%209%2 0n.1%20%20jan.%20jun%202015.pdf

Oliveira JQ, Penna MMC, O discurso da violência obstétrica na voz das mulheres e dos profissionais de saúde, Texto & contexto enferm. [internet]. 2017 [acesso em 15 de abil de 2019]; 26(2): 2-10 Disponível em: http://www.revenf.bvs.br/pdf/tce/v26n2/pt_0104-0707-tce- 26-02-e06500015.pdf

Brasil. Conselho Federal de Enfermagem. Lei do exercício profissional n. 7.498 de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras providências [internet]. Brasília, DF; 1986. [acesso em 23 de abril de 2019] Disponível em: http://www.cofen.gov.br/lei-n-749886-de-25-de-junho-de-1986_4161.html

Rodrigues PG, Alves HV, Penna GHL, Pereira, VA, Branco RLBM, Silva AL. A peregrinação no período reprodutivo: uma violência no campo obstétrico, Escola Anna Nery [internet]. 2015 [acesso em 15 de abril de 2019]; 19(4): 614-620 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v19n4/1414-8145-ean-19-04-0614.pdf

Pompeu CK, Scarton J, Cremonese L, Flores GR, Landerdahl CM, Ressel BL. Práticas da episiotomia no parto: desafios para a enfermagem, Rev. enferm. Cent.-Oeste Min. [internet]. 2017 [acesso em 0 de abril de 2019]; 7(1): 2-8 Disponível em: http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/1142/1302

Diniz et al. Violência obstétrica como questão para a saúde pública no Brasil: origens, definições, tipologia, impactos sobre a saúde materna, e propostas para a sua prevenção, Rev. bras. crescimento desenvolv. hum. [internet]. 2015 [acesso em 0 de abril de 2019]; 25(3): 377-384 Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbcdh/v25n3/pt_19.pdf

Moura et al. Cuidados de enfermagem na prevenção da violência obstétrica, Enferm. foco (Brasília) [internet]. 2018 [acesso em 23 de abril de 2019]; 9(4): 60-65 Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/1333/480

Carvalho SI, Brito SR. Formas de violência obstétrica vivenciadas por puérperas que tiveram parto normal, Enferm. glob. [internet] 2017 [ acesso em 23 de abril de 2019]; 16(47): 71-79 Disponível em: http://scielo.isciii.es/pdf/eg/v16n47/pt_1695-6141-eg-16-47-00071.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes Nacionais de Assistência ao Parto. 1ª ed. Brasília- DF; 2017 [ acesso em 24 de abril de 2019] Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacionais_assistencia_parto_normal.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Humanização no Pré-Natal e Nascimento. 1ª ed. Brasília- DF; 2002 [ acesso em 24 de abril de 2019] Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/parto.pd

Ferreira MAS, Santos RS, Soares OGJAM, Rosenstock VIK, Aspectos éticos no exercício da enfermagem: revisão integrativa da literatura, Cogitare Enfermagem [internet]. 2011[ acesso em 30 de abril de 2019]; 16(4): 727-33 Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/25444/17067

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de revisão para sintetizar as evidências disponíveis na literatura. Texto Contexto Enferm [internet]. 2008 [acesso em 30 de abril de 2019] 17(4):758-64 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v17n4/18.pdf

Souza VW, Miranda DMG, Mendes GCA, Silva ALA. A qualidade do atendimento ao parto na rede pública hospitalar em uma capital brasileira: a satisfação das gestantes. Cadernos de saúde pública [internet]. 2017 [acesso em 29 de abril de 2019] 33(12): 1-14 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v33n12/1678-4464-csp-33-12-e00175116.pdf

Pozzio RM. Ginecologia e Obstetrícia no México: entre "parto humanizado" e violência obstétrica. Revista estudos feminista [internet]. 2016 [acesso em 29 de abril de 2019] 24(1): 101-117 Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104- 026X2016000100101&lng=es&tlng=es

Souza PMR, Branco RLBM, Pereira VA, Penna GHL, Alves HV, Rodrigues PD. O descumprimento da lei do acompanhante como agravo á saúde obstétrica. Texto & Cotento Enfermagem [internet] 2017 [acesso em 30 de abril de 2019] 26(3): 2-10 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v26n3/0104-0707-tce-26-03-e5570015.pdf

Amaral GORL, Jonas E, Guimarães EBL. Violência obstétrica em maternidades públicas do estado do Tocantins. Revista Estudos feministas [internet] 2017 [acesso em 30 de abril de 2019] 26(1):1-11 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ref/v26n1/1806-9584-ref-26-01- e43278.pdf

Gülmezoglu et al. Os maus-tratos a mulheres durante o parto em estabelecimentos de saúde em todo o mundo: uma revisão sistemática de métodos mistos. Plos medicine [internet] 2015 [acesso em 29 de abril de 2019] Disponível em: https://journals.plos.org/plosmedicine/article/comments?id=10.1371/journal.pmed.1001847




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2020.v11.n1.2798

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.