SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM E CLÍNICA AMPLIADA: DESAFIOS PARA O ENSINO DE SAÚDE MENTAL

Cláudia Mara Tavares, Lucas Marvilla Mesquita

Resumo


Objetivo: A Sistematização da Assistência de Enfermagem é uma metodologia para organizar e realizar o cuidado de enfermagem orientado por princípios científicos. A Clínica Ampliada pressupõe uma abordagem singular do sujeito de forma integral, interdisciplinar e compartilhada. Neste artigo fazemos uma reflexão sobre os desafios que essas duas perspectivas trazem para inovar o ensino de saúde mental, procurando identificar interseções e contrapontos teóricos e formas de apropriação pelos enfermeiros de saúde mental. A articulação entre essas duas abordagens amplia a perspectiva de trabalho do enfermeiro em favor do cliente, valorizando suas potencialidades, transformando o processo de cuidar em algo mais dinâmico, participativo e solidário. O principal desafio posto para o ensino de enfermagem em saúde mental é levar o aluno a aprender a agir em cenário de incertezas por meio de práticas profissionais sistematizadas, criativas, autônomo-dialógicas e que levem ao desenvolvimento da profissão considerando o trabalho interdisciplinar.

Descritores: Processo de Enfermagem; Saúde Mental Ensino em Saúde.

SYSTEMATIZATION OF NURSING AND CLINICAL ASSISTANCE EXPANDED: CHALLENGES FOR MENTAL HEALTH EDUCATION

Objective: The systematization of nursing care is a methodology in order to organize and make nursing care oriented by scientific principles. The expanded clinical assistance presupposes a singular personal approach through an integral, interdisciplinary and shared practices. This essay reflects on the challenges which these two perspectives bring to innovate the mental health education, intending to identify theoretical intersections and counterpoints and also its appropriation by mental health nurses. The articulation between these two approaches expand the working perspective of the nurses in favor of the patient, valuing their potentialities, making the care process more dynamic, interactive and supportive. The main challenge of mental health nursing education is to take the students to learn how to act in uncertain scenarios by professional, systematic, creative, autonomous-dialogical practices which also take them to their professional development considering interdisciplinary work.

Descriptors: Nursing Processes; Mental Health; Health Education.

SISTEMATIZACIÓN DE LA ASISTENCIA DE ENFERMERÍA Y CLÍNICA AMPLIADA: DESAFÍOS PARA LA ENSEÑANZA DE SALUD MENTAL

Objetivo: La sistematización de laasistencia de la enfermería es una metodología para organizar y realizar el cuidado de la enfermería orientado por principios científicos. La clínica ampliada presuponeun enfoque singular delsujeto a través de un enfoque integral, interdisciplinar y compartido. En este artículo hacemos una reflexión sobre losdesafíos que estas dos perspectivastraen para innovarlaenseñanza de la salud mental, buscando identificar intersecciones y contrapuntos teóricos y formas de apropiación por losenfermeros de salud mental. La articulación entre estos dos enfoques amplia la perspectiva de trabajo Del enfermeroen favor del cliente, valorizando sus potencialidades, transformando elproceso de cuidar en algo más dinámico, participativo y solidario. El principal desafio puesto para laenseñanza de la enfermería de la salud mental es llevar al alumno a aprender a actuaren un escenario de incertidumbres por medio de prácticasprofesionales sistematizadas, creativas, autónomas - dialógicas y que lleven al desarrollo de laprofesión considerando eltrabajointerdisciplinario.

Descriptores: Procesos de Enfermería; Salud Mental; Educación em Salud.


Texto completo:

PDF

Referências


Ceccim RB, Feuerwerker LCM. O quadrilátero da formação para a área da saúde: ensino, gestão, atenção e controle social. Physis [Internet]. 2004 June [cited 2019 June 13] ; 14(1): 41-65. Availablefrom: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext& pid=S0103-73312004000100004&lng=en

Souza MCBM. O Ensino de Enfermagem Psiquiátrica /Saúde Mental: avanços, limites e desafios. SMAD, Revista Electrónica enSalud Mental, Alcohol y Drogas [Internet]. 2016 [cited 2019 June 2]; 12(3):139-146. Available from: http://dx.doi. org/10.5935/1414- 8145.20160040.

Skupien SV, Pinto AC, Floriano LSM. Avaliação do ensino de psiquiatria e de saúde mental na graduação de enfermagem: revisão de literatura, 2017.Anais do IV Seminário Internacional de Representações sociais, subjetividade e educação, Curitiba, Paraná.

Conselho Federal de Enfermagem. Resolução N° 358 de 15 de outubro de 2009. Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de Enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem e dá outras providências. Brasília, DF: Conselho Federal de Enfermagem, 2009.Avaiblefrom:http:// www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html

Pellegrino TV, Nakamura MS, Rigon FGAP. Sistematização da assistência de enfermagem em unidade de internação psiquiátrica. Revista Baiana de Enfermagem [Internet], 2015[cited 2019 June 13];29(2):172-179. Available from: https://portalseer.ufba. br/index.php/enfermagem/article/view/11707/pdf_130

Bolsoni E, Heusy I, Silva Z, Rodrigues J, Peres G, Morais R. Consulta de enfermagem em saúde mental: revisão Integrativa. SMAD [Internet]. 2016 [cited 2019 june 14];12(4):249-255. Available from: http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/122268

Garcia A. Paula RF, Freitas MIP, Lamas JLT, Toledo VP. Processo de enfermagem na saúde mental: revisão integrativa da literatura. Rev. Bras. Enferm. [Internet]. 2017 [cited 2019 Jun 14] ; 70(1): 220-230. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script= sci_arttext&pid=S0034-71672017000100220&lng=pt

Santos MG et al. Etapas do processo de enfermagem: uma revisão narrativa. Enferm Foco, [Internet].2018 [cited 2019 jul 15]; 8 (2): 49-56. Available from: http://revista.cofen.gov.br/index.php/ enfermagem/article/view/1032/416

Campos GWS. Saúde Paidéia. São Paulo: Hucitec, 2003.

Campos GWS, Domitti AC. Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cad. Saúde Pública [Internet]. 2007 [cited 2019 Jun 14]; 23(2): 399-407. Available from: http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000200016&lng=- pt

Ministério da Saúde (BR). Secretaria Executiva, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. HumanizaSUS: clínica ampliada e compartilhada [Internet]. Brasília (DF). 2009.Available from:http://bvsms.saude.gov.br/ bvs/publicacoes/clinica_ampliada_ compartilhada. pdf.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Clínica ampliada, equipe de referência e projeto terapêutico singular. 2.ª edição. Brasília: Série B. Textos Básicos de Saúde,2007.

Matumoto S, Fortuna CM, KawataLS, Mishima SM, Pereira MJB. A prática clínica do enfermeiro na atenção básica: um processo em construção. Rev. Latino-Am. Enfermagem [Internet]. 2011 [cited 2019 June 13] ; 19( 1 ): 123-130. Availablefrom: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext& pid=S0104-11692011000100017&lng=en. http://dx.doi. org/10.1590/S0104-11692011000100017.

Alves S.Os sentidos sobre cuidado na atenção à saúde mental no contexto da enfermagem.Dissertação de mestrado, Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, Programa de Pós- -Graduação Stricto Sensu em Psicologia, 2015.

Mattos NFMS.O processo de trabalho da enfermagem no CAPS III de Campinas a partir da clínica ampliada e compartilhada. Dissertação (mestrado profissional) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, 2016.

Ministério da Educação. (BR). Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES n. 3, de 7 novembro de 2001. Institui as diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Enfermagem. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília (DF), 9 de novembro de 2001. Seção 1, p. 37.

Castro M. Com reforma, número de leitos psiquiátricos no SUS diminuiu 40%. Barbacena, 22/08/2015. TV Brasil. http:// agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2015-08/ com-reforma-numero-de-leitos-psiquiatricos-no-sus-diminuiu- 40-em

Tavares CMM, Gama LN, Souza MMT e, Paiva LM, Silveira PG, Mattos MMGR. Competências específicas do enfermeiro de saúde mental enfatizadas no ensino de graduação em enfermagem. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental [Internet]. 2016 [citado 2019 Jun 13] ; ( spe4 ): 25-32. Available from: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext& pid=S1647-21602016000400004&lng=pt. http://dx.doi. org/10.19131/rpesm.0137.

Teixeira GV, OliveiraNR. Considerações sobre a clínica ampliada no processo de enfermagem. Saúde Coletiva [Internet]. 2010 [cited 2019 Mai 13]; 7(38):61-66. Available from: http://www.redalyc. org/articulo.oa?id=84212375006

Feitosa RMM, Lima DWC, Almeida ANS, Silveira LC. Pensar e fazer na enfermagem: a interdisciplinaridade na perspectiva da clínica ampliada. Revista Baiana de Enfermagem. 2011[cited 2019 Mai 13]; 25(1): 75-88.Available from: https://portalseer.ufba.br/ index.php/enfermagem/article/view/4718/4331




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2019.v10.n7.2810

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.