Efeitos do Uso do Crack e Cocaína Durante a Gestação Para o Recém-Nascido

Gabriela Maciel dos Reis, Fabiana Ramos de Menezes, Danúbia Mariane Barbosa Jardim

Resumo


Objetivo: Buscar as evidências científicas sobre os efeitos do uso de cocaína e crack durante a gestação para o recém-nascido. Métodos: Trata-se de uma de uma revisão integrativa da literatura, realizada pelas bases de dados Medical Literature on Line (via PubMed), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (via Biblioteca Virtual em Saúde) e a Base de Dados de Enfermagem. Para estratégia de busca utilizou-se os seguintes descritores em inglês e português: pregnancy, crack, cocaine, Pregnancy Complications, Fetus, Street Drugs, Infant, Newborn. Foram incluídos artigos originais, disponíveis na íntegra, publicados entre os anos de 2014 a 2019. Resultados: Obteve-se um total de 9 artigos incluídos neste estudo. Os principais efeitos do uso do crack ou cocaína durante a gestação para o recém-nascido foram baixo APGAR, atraso de desenvolvimento neuropsicomotor, baixo peso ao nascer, alterações nos reflexos primitivos, malformação congênita e microcefalia. Conclusão: Foram encontrados nove artigos que compuseram a amostra final deste estudo. Esse número reafirma a necessidade de realizar estudos originais sobre os efeitos biológicos do uso do crack ou da cocaína na gestação para o recém-nascido.

Descritores: Gravidez; Relações Materno-Fetais;  Cocaína Crack.

EFFECTS OF THE USE OF CRACK AND COCAINE DURING PREGNANCY FOR THE NEWBORN

Objective: Find out the evidences about the effect of the use of cocaine and crack during the privacy for the newborn. Methods: It is a integrative literature review, based on the Medical Literature on Line - MEDLINE (by PubMed), Latina American literature and Caribbean in Heath Science- LILACS (at Virtual lLibrary in Heath) and the Nursing dates (BDENF). For search strategy, the following descriptors (DeCS) in English and Portuguese were used: Pregnancy, Complications, Fetus, Street, Drugs, Infant, Newborn. Original articles available in full, published between 2014 and 2019 were included. Results: A total of 9 articles were included in this study. The main effects of crack or cocaine use during the pregnancy for the newborn were low APGAR, delayed neuropsychomotor, low birth weight, changes in primitive reflexes, congenital malformation and microcephaly. Conclusions: Nine articles were found that comprised the final sample of this study. This number reaffirm the need to carry out original studies on the biological effects of crack and cocaine use during pregnancy for the newborn. Descriptors: Pregnancy; Maternal-fetal relations; Crack cocaine.

EFECTOS DEL USO DE LA CRACK Y COCAÍNA DURANTE EL EMBARAZO PARA RECIÉN NACIDO

Objetivo: Buscar evidencia científica sobre los efectos del uso de cocaína y crack durante el embarazo para el recién nacido. Métodos: Esta es una revisión de literatura integradora, realizada por Medical Literature on Line - MEDLINE (a través de PubMed), Literatura Latinoamericana y del Caribe en Ciencias de la Salud - LILACS (a través de la Biblioteca Virtual de Salud) y la base de datos de enfermería (BDENF). Para la estrategia de búsqueda, se utilizaron los siguientes descriptores (DeCS) en inglés y portugués: embarazo, crack, cocaína, complicaciones del embarazo, feto, drogas callejeras, lactantes, recién nacidos. Se incluyeron artículos originales, disponibles en su totalidad, publicados entre 2014 y 2019. Resultados: Se obtuvieron un total de 9 artículos incluidos en este estudio. Los principales efectos del uso de crack o cocaína durante el embarazo para el recién nacido fueron bajo APGAR, retraso en el desarrollo neuropsicomotor, bajo peso al nacer, cambios en los reflejos primitivos, malformación congénita y microcefalia. Conclusión: Se encontraron nueve artículos que constituían la muestra final de este estudio. Este número reafirma la necesidad de llevar a cabo estudios originales sobre los efectos biológicos del uso de crack o cocaína durante el embarazo para el recién nacido.

Descriptores: Embarazo; Relaciones materno-fetales; Cocaína crack.



Texto completo:

PDF

Referências


Araujo CM, Vieira CX, Mascarenhas CHM. Prevalência do consumo de drogas lícitas e ilícitas por estudantes universitários. SMAD. Revista eletrônica saúde mental álcool e drogas. 2018; 14(3): 144-50. https://dx.doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2018.000342

Oliveira TA, Aquino MMA, Bersusa AAS, Neto CM, Santos TF. Perinatal Outcomes in Pregnant Women Users of Illegal Drugs. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. 2016 Apr; 38(4):183-8. https://doi.org/10.1055/s-0036-1580710.

Rodrigues AS, Oliveira JF, Suto CSS, Coutinho MPL, Paiva MS, Souza SS. Care for women involved with drugs: social representations of nurses. Rev. Bras. Enferm. 2017 Feb; 70(1): 71-78. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0339.

Alves BLP, Carneiro EO. Drogas psicoestimulantes: uma abordagem toxicológica sobre cocaína e metanfetamina. Pontifícia Universidade Católica de Goiás [Internet]. 2020 [cited 2020 Apr 08]. Available from: http://www.cpgls.pucgoias.edu.br/7mostra/Artigos/SAUDE%20E%20BIOLOGICAS/Drogas%20psicoestimulantes%20%20uma%20abordagem%20toxicol%C3%B3gica%20sobre%20coca%C3%ADna%20e%20metanfetamina.pdf

Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). III Levantamento Nacional sobre o uso de drogas pela população brasileira. [Internet]. 2017 [cited 2020 Apr 08]. Available from: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/34614

Kassada DS, Marcon SS, Pagliarini MA, Rossi RM. Prevalência do uso de drogas de abuso por gestantes. Acta paul. enferm. 2013;26(5):467-71. https://doi.org/10.1590/S0103-21002013000500010.

Rocha PC, Britto AMTSS, Chagas DC, Silva AAM, Batista RFL, Silva RA. Prevalência e fatores associados ao uso de drogas ilícitas em gestantes da coorte BRISA. Cad. Saúde Pública. 2016; 32(1): e00192714. https://doi.org/10.1590/0102-311X00192714.

Reis FT, Loureiro RJ. O uso do crack durante a gestação e suas repercussões biopsicossociais e espirituais. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. (Ed. port.). Ribeirão Preto. 2015 jun; 11(2):105-11.

Renner FW, Costa BP. Figueira FP, Ebert JP, Nascimento LS, Ferrari L et al. Avaliação do uso de drogas por gestantes atendidas em hospital de ensino do interior do Rio Grande do Sul. Rev. epidemiol. controle infecç, 2016;6(2): 68-73. doi:http://dx.doi.org/10.17058/reci.v6i2.6976.

Neri CAP. Os efeitos do crack e cocaína no desenvolvimento embrionário e suas consequências. Centro de Pós-Graduação Oswaldo Cruz. 2020.

Brasil, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Nacional de Assistência Social (SNAS). Nota Técnica N. º 01/2016/MDS/MSaúde. Nota Técnica conjunta sobre Diretrizes, Fluxo e Fluxograma para a atenção integral às mulheres e adolescentes em situação de rua e/ou usuárias de álcool e/ou crack/outras drogas e seus filhos recém-nascidos. Brasília: 2016.

Brasil, Programa Nacional de Telessaúde. No âmbito da atenção primária, como deve ser a abordagem às gestantes adolescentes e usuárias de drogas? Núcleo de Telessaúde Sergipe [Internet]. 2019 Jul [cited 2020 Apr 08]. Available from: https://aps.bvs.br/aps/no-ambito-da-atencao-primaria-como-deve-ser-a-abordagem-as-gestantes-adolescentes-e-usuarias-de-drogas/

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein (São Paulo). 2010 Mar; 8(1):102-6. https://doi.org/10.1590/s1679-45082010rw1134.

Mendes DIA, Ferrito CRAC, Gonçalves MIR. Intervenções de Enfermagem no programa Enhanced Recovery After Surgery®: scoping review. Rev. Bras. Enferm. 2018;71(Suppl 6):2824-32. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0436.

Pereira CM, Pacagnella RC, Parpinelli MA, Andreucci CB, Zanardi DM, Souza R et al. Drug Use during Pregnancy and its Consequences: A Nested Case Control Study on Severe Maternal Morbidity. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. 2018 Sep;40(9):518-26. https://doi.org/10.1055/s-0038-1667291.

Zavaschi MLS, Mardini Victor, Cunha GB, Martins-Costa SHA, Guarienti F, Pianca TG et al. Socio-demographic and clinical characteristics of pregnant and puerperal crack-cocaine using women: preliminary data. Arch. Clin. Psychiatry. 2014;41(5):121-3. https://doi.org/10.1590/0101-60830000000025.

Oliveira MM, Carmargo PO, Bica SCL, Herreira LF, Furtado AE. Acompanhamento das medidas antropométricas de crianças filhas de mulheres que utilizaram drogas nagestação. Rev. enferm. UFPI. [Internet]. 2018 Jan./Mar [cited 2020 Apr 08]; 7(1):10-14. Available from: https://revistas.ufpi.br/index.php/reufpi/article/view/6645/pdf

Mardini V, Rohde LA., Ceresér KM., Gubert CM., Silva EG, Xavier F et al. TBARS and BDNF levels in newborns exposed to crack/cocaine during pregnancy: a comparative study. Rev. Bras. Psiquiatr. 2017 Sep; 39(3):263-6. https://doi.org/10.1590/1516-4446-2016-2035.

Modernel XD, Calcagno GG, Portella RJ, Soares MM, Quadros AS. Use of crack in pregnancy: repercussions for the newborn. Invest Educ Enferm. 2017 Oct;35(3):X. doi: 10.17533/udea.iee.v35n3a02.

Oliveira TA, Bersusa AAS, Santos TF, Aquino MMA, Mariani Neto C. Perinatal Outcomes in Pregnant Women Users of Illegal Drugs. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. 2016 Apr;38(4):183-8. https://doi.org/10.1055/s-0036-1580710.

Aghamohammadi A, Zafari M. Crack abuse during pregnancy: maternal, fetal and neonatal complication. J Matern Fetal Neonatal Med. 2016 Mar;29(5):795-7. doi: 10.3109/14767058.2015.1018821.

Parcianello RR, Mardini V, Ceresér KMM, Xavier F, Zavaschi MLS, Rhode LAP, et al. Comparação dos níveis séricos da Cocaine and Amphetamine Regulated Transcript (CART) entre sangue de cordão umbilical e sangue periférico em gestantes usuárias de crack. Rev. Bras. Psicoter. [Internet]. 2017[cited 2020 Apr 08];19(1):1-13. Available from: https://s3-sa-east-1.amazonaws.com/publisher.gn1.com.br/rbp.celg.org.br/pdf/v19n1a01.pdf

Maia JA, Pereira LA, Alcântara MF. Consequências do uso de drogas durante a gravidez. Revista Enfermagem Contemporânea. [Internet]. 2016 [cited 2020 Apr 08];4(2):1-8. Available from: https://200.128.7.132/index.php/enfermagem/article/view/664

Brasil, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Atenção à saúde do recém-nascido: guia para os profissionais de saúde. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

Schlatter EF. Aprendizagem da avaliação da vitalidade do recém-nascido pelo método de APGAR. Rev. esc. enferm. USP. 1981 Dec; 15(3):267-73. https://doi.org/10.1590/0080-6234198101500300267.

Alencar JCG, Junior CAA, Matos AMB. “Crack Babies”: uma revisão sistemática dos efeitos em recém-nascidos e em crianças do uso do crack durante a gestação. Revista de Pediatria. 2011; 12(1): 16-21.

Santos AMM, Thomaz ACP, Rocha JES. Crescimento intra-uterino restrito diagnosticado pelo índice ponderal de Rohrer e sua associação com morbidade e mortalidade neonatal precoce. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. 2005 June;27(6):303-9. https://doi.org/10.1590/S0100-72032005000600003.

Mello EP. Repercussão neonatal do consumo de crack durante a gestação. São Paulo, 2011.

Gasparin M, Silveira JL, Garcez LW, Levy BS. Comportamento motor oral e global de recém-nascidos de mães usuárias de crack e/ou cocaína. Rev. soc. bras. fonoaudiol. 2012 Dec; 17(4):459-63. https://doi.org/10.1590/S1516-80342012000400016.

Belcher HM, Shapiro BK, Leppert M, Butz AM, Sellers S, Arch E, et al. Sequential neuromotor examination in children with intrauterine cocaine/polydrug exposure. Dev Med Child Neurol. 1999;41(4):240-6. http://dx.doi.org/10.1111/j.1469-8749.1999.tb00591.x.

Dixon SD, Bejar R. Echoencephalographic findings in neonates associated with maternal cocaine and methamphetamineuse: incidence and clinical correlates. J Pediatr. 1989;115(5 Pt 1):770-8.

Olhweiler L, Silva AR, Rotta NT. Estudo dos reflexos primitivos em pacientes recém-nascidos pré-termo normais no primeiro ano de vida. Arq. Neuro-Psiquiatr. 2005 June; 63(2a):294-7. https://doi.org/10.1590/S0004-282X2005000200017.

Abraham CF, Hess ARB. Efeitos do uso do crack sobre o feto e o recém-nascido: um estudo de revisão. Revista de Psicologia da IMED. [Internet]. 2016 [cited 2020 Apr 08];8(1):38-51.

Available from: https://seer.imed.edu.br/index.php/revistapsico/article/view/1045

Santos RS, Dias IMV. Refletindo sobre a malformação congênita. Rev. bras. enferm. 2005 Oct;58(5):592-6. https://doi.org/10.1590/S0034-71672005000500017.




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2020.v11.n6.3610

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.