Experiências brasileiras no acompanhamento de crescimento e desenvolvimento infantil no contexto da Atenção Básica

Laianne Santos Barbosa de Souza, Lia Maristela da Silva Jacob, Eudes Euler de Souza Lucena, Raphael Raniere de Oliveira Costa

Resumo


Objetivo: Identificar as experiências brasileiras no acompanhamento de crescimento e desenvolvimento infantil no contexto da Atenção Básica. Método: Trata-se de um estudo do tipo Revisão Integrativa de Literatura. As bases de dados utilizadas nesse estudo foram: Scientific Eletronic Library Online, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde e SCOPUS. Resultados: Durante a busca inicial foram encontrados setenta e oito artigos, onze artigos repetiam-se dentro das bases e por esse motivo, a amostra final foi composta por oito artigos. O acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil é realizado por meio de consultas na ESF e, em sua maioria, com ações de aferição de medidas antropométricas, verificação do esquema vacinal e orientação nutricional. Conclusão: Foi possível identificar experiências de consultas que ainda estão voltadas para o modelo biomédico, pautado na queixa conduta. É preciso que os profissionais atuantes na Atenção Básica recebam capacitação de qualidade, para que suas ações sejam efetivas na prevenção e promoção de saúde infantil.

Descritores: Desenvolvimento infantil; Atenção Primária a Saúde; Assistência integral a saúde.


Texto completo:

PDF

Referências


Araújo JP, Silva RMM, Collet N, Neves ET, Toso BRGO, Viera CS. História da saúde da criança: conquistas, políticas e perspectivas. Rev Bras Enferm. 2014;67(6):1000-7. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2014670620

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n° 1.130. Institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2015.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de vigilância em saúde. Departamento de análise de situação de saúde. Saúde Brasil 2008: 20 anos de Sistema único de Saúde (SUS) no Brasil. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2009.

Branquinho ID, Lanza FM. Saúde da criança na atenção primária: evolução das políticas brasileiras e a atuação do enfermeiro. RECOM. 2018; 8: 1-11. http://dx.doi.org/10.19175/ recom.v8i0.2753

Silva TCT, Cursino EG, Silva LF. Child health booklet: monitoring growth and child development. Rev enferm UFPE on line. 2018; 12(12):3445-55. https://doi.org/10.5205/ 1981-8963-v12i12a236819p3445-3455-2018

Silva GN, Cardoso AM. O papel do enfermeiro na redução da mortalidade infantil por meio do acompanhamento de puericultura na atenção básica. Rev Cien Escol Estad Saud Publ Cândido Santiago. 2018;4(1):91-99.

Gonçalves APRF, Jorge RF, Ribas C, Silva GAO, Sehnem RC. Acompanhamento da criança através da puericulcura com abordagem multiprofissional em uma unidade básica de saúde de Apucarana–PR. Simpósio de Atenção Integral à Saúde da Criança e do Adolescente; 2017.

Botelho LLR, Cunha CCA, Macedo M. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e Sociedade. 2011; 5(11): 121-136. https://doi.org/10.21171/ ges.v5i11.1220

Whittemore R, Knafl K. The integrative review: updated methodology. J Adv Nurs. 2005;52(5):546-53. https://doi.org/10.1111/j.1365-2648.2005.03621.x

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2008; 17(4): 758-64.

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein; 2010 ; 8(1): 102-106. https://doi.org/10.1590/s1679-45082010rw1134

Abdala V. Saúde Baseada em Evidências. APS baseada em evidências. Odontologia baseada em evidências. Decisões baseadas em evidências. Anais do I Congresso Piauiense de Educação em Atenção Básica em Saúde. Teresina; 2008. p. 1-18.

Galvão CM. Níveis de Evidência. Acta Paul Enferm. 2006;19(2).

Camanho GL. Editorial: nível de evidência. Rev Bras Ortop. 2009; 44(6): 01-02. https://doi.org/10.1590/S0102-36162009000600001

Souza VD, Santos NCCB, Nascimento JA, Collet N, Toso BRGO, Reichert APS. A prática do enfermeiro na consulta de puericultura na estratégia saúde da família. Texto contexto - enferm. 2018; 27(4): e4890017. http://dx.doi.org/10.1590/0104-070720180048 90017.

Caminha MFC, Silva SL, Lima MC, Azevedo PTACC, Figueira MCS, Batista Filho M. Vigilância do desenvolvimento infantil: análise da situação brasileira. Rev Paul Pediatr. 2017; 35(1): 102-109. https://doi.org/10.1590/1984-0462/;2017;35;1;00009

Pedraza DF. Growth surveillance in the context of the Primary Public Healthcare Service Network in Brazil: literature review. Rev Bras Saude Mater Infant. 2016; 16(1): 7-19. https://doi.org/10.1590/1806-93042016000100002

Araújo DC, Lucena EES, Tavares TRP, Araújo TB, Araújo CM, Costa BMB , et al. Promoção de saúde bucal nas consultas de crescimento e desenvolvimento na atenção primária: um relato de colaboração interprofissional. Rev Ciênc Plural. 2018; 4(2): 87-101.

Silva FB, Gaíva MAM, Mello DF. Utilização da caderneta de saúde da criança pela família: percepção dos profissionais. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2015; 24(2): 407-14. https://doi.org/10.1590/0104-07072015000212014

Silva SV, Souza NS, Pereira LPS. Vigilância e estímulo do pleno crescimento e desenvolvimento infantil: ações realizadas por enfermeiros da Atenção Básica de Saúde; 2018.

Furtado MCC, Mello DF, Pina JC, Vicente JB, Lima PR, Rezende VD. Ações e articulações do enfermeiro no cuidado da criança na atenção básica. Texto contexto - enferm. 2018; 27(1): e0930016. https://doi.org/10.1590/0104-07072018000930016

Merhy EE, Franco TB. Por uma Composição Técnica do Trabalho em saúde centrada no campo relacional e nas tecnologias leves. Apontando mudanças para os modelos tecno-assistenciais. PUC. 2003; 27(65): 316-323.

Reichert APS, Collet N, Eickmann SH, Lima MC. Vigilância do desenvolvimento infantil: estudo de intervenção com enfermeiros da Estratégia Saúde da Família. Rev Latino-Am Enferm. 2015;23(5):954-62. https://doi.org/10.1590/0104-1169.0272.2636

Yakuwa MS, Neill S, Mello DF. Nursing strategies for child health surveillance. Rev Latino-Am Enferm. 2018; 26: e3007. https://doi.org/10.1590/1518-8345.2434.3007

Matuda Caroline Guinoza, Pinto Nicanor Rodrigues da Silva, Martins Cleide Lavieri, Frazão Paulo. Colaboração interprofissional na Estratégia Saúde da Família: implicações para a produção do cuidado e a gestão do trabalho. Ciênc Saúde coletiva. 2015; 20(8): 2511-2521. https://doi.org/10.1590/1413-81232015208.11652014




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2021.v12.n2.3722

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.