Carga de trabalho e dimensionamento em unidade de internação neonatal: uso do Nursing Activities Score

Marina Kühl de Rezende Soares, Gisele Hespanhol Dorigan, Elenice Valentim Carmona

Resumo


Objetivo: avaliar a carga de trabalho e realizar o cálculo de pessoal da equipe de enfermagem em uma unidade de internação neonatal. Métodos: estudo transversal, descritivo e exploratório de abordagem quantitativa. O estudo foi realizado em uma unidade de internação neonatal de um hospital público no interior do estado de São Paulo e para a avaliação da carga de trabalho utilizou-se o Nursing Activities Score, os dados referente à assistência foram coletados do prontuário do paciente e o cálculo do pessoal, a partir das horas obtidas do instrumento, foi baseado em literatura. Resultados: 19 recém-nascidos compuseram a amostra. O instrumento para avaliar a carga de trabalho foi aplicado 171 vezes e o percentual médio de pontuação foi de 490,4%, houve defasagem de profissionais de enfermagem em todos os dias de coleta. Conclusão: Comparando o dimensionamento real com o ideal, observou-se déficit de profissionais no período analisado. Essa pesquisa fornece evidências da avaliação da carga de trabalho em unidade neonatal, que pode subsidiar o dimensionamento de pessoal, com o intuito de minimizar a ocorrência de danos decorrentes de uma assistência insegura.

Texto completo:

PDF

Referências


Reis CL, Tavares CSS, Santana CA, Menezes MO, Andrade RX, Gois RMO. A interface da cultura de segurança na gestão de qualidade: um estudo bibliográfico. Ciências Biológicas

e de Saúde Unit. 2018; 5(1): 103-116. [acesso em 10 jun. 2018]. Disponível em: periodicos.set.edu.br.

Guse C, Gomes DC, Carvalho DR. Fatores que contribuem para a rotatividade e fidelização de profissionais de enfermagem. Revista Saúde e Pesquisa. 2018; 11(1): 57-67. [acesso em 09 mai. 2018]. Disponível em: https://doi.org/10.17765/2176-9206.2018v11n1p57-67.

Sousa BVN, Santana RR, Santos MS, Cipriano ESV, Brito CO, Oliveira EF. Repensando a segurança do paciente em unidade de terapia intensiva neonatal: revisão sistemática. Cogitare Enferm. 2016; 21(esp): 01-10. [acesso em 09 mai. 2018]. Disponível em: https://revistas. ufpr.br/cogitare/article/view/45576/pdf.

Resolução Nº 543 do Conselho Federal de Enfermagem, de 18 de abril de 2017 (BR) [Internet]. Fixa e estabelece parâmetros para o dimensionamento do quadro de profissionais de enfermagem nas unidades das instituições de saúde e assemelhados. [acesso em 10 jun. 2018]. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-5432017_51440.html.

Oliveira AC, Garcia PC, Nogueira LS. Carga de trabalho de enfermagem e ocorrência de eventos adversos na terapia intensiva: revisão sistemática. Rev. Esc. Enferm. USP. 2016; 50(4):683-694. [acesso em 11 jan. 2018]. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0080-623420160000500020.

Resolução Nº 7 do Ministério da Saúde, de 24 de fevereiro de 2010 (BR) [Internet]. Dispõe sobre os requisitos mínimos para funcionamento de Unidades de Terapia Intensiva e dá outras providências. [acesso em 11 jan. 2018]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudele

gis/anvisa/2010/res0007_24_02_2010.html.

Menegueti MG, Nicolussi AC, Scarparo AF, Campos LF, Chaves LDP, Laus AM. Dimensionamento de pessoal de enfermagem nos serviços hospitalares: revisão integrativa da

literatura. Rev. eletrônica enferm. [Internet]. 2013; 15(2):551-63. [acesso em 05 nov. 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v15i2.18559.

Bochembuzio L. Avaliação do instrumento Nursing Activities Score em neonatologia [tese de doutorado]. São Paulo: Escola de Enfermagem da USP; 2007.

Conishi RMY, Graidzinski RR. Nursing Activities Score (NAS) como instrumento para medir carga de trabalho de enfermagem em UTI adulto. Rev. Esc. Enferm. USP. 2007; 41(3):346-54. [acesso em 18 nov. 2018]. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0080-62342007000300002.

Miranda DR, Nap R, Rijk A, Schaufeli W, Iapichino G. TISS Working Group. Therapeutic Intervention Scoring System. Nursing activities score. Crit Care Med. 2003; 31(2):374-82.

Queijo AF. Tradução para o português e validação de um instrumento de medida de carga de trabalho de enfermagem em unidade de terapia intensiva: Nursing Activities Score (NAS). [dissertação] São Paulo: Escola de Enfermagem da USP; 2002.

Ferreira PC, Machado RC, Martins QCS, Sampaio SF. Classificação de pacientes e carga de trabalho de enfermagem em terapia intensiva: comparação entre instrumentos. Rev. gaúcha enferm (Online). 2017; 38(2):e62782. [acesso em 08 dez. 2018]. Disponível em: http://dx. doi.org/10.1590/1983-1447.2017.02.62782.

Goulart LL, Aoki RN, Vegian CFL, Guirardello EB. Carga de trabalho de enfermagem em uma unidade de terapia intensiva de trauma. Rev. eletrônica enferm. [Internet]. 2014 [acesso em 06 dez. 2018] 16(2):346-51. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v16i2.

Mello MC. Carga de trabalho de enfermagem: indicadores de tempo em unidades de clínica médica, cirúrgica e terapia intensiva adulto [tese de doutorado] São Paulo: Escola de Enfermagem da USP; 2011.

Nunes BK, Toma E. Dimensionamento de pessoal de enfermagem de uma unidade neonatal: utilização do Nursing Activities Score. Rev. latinoam. enferm. (Online) 2013; 21(1):[08 telas]. [acesso em 29 mar. 2018]. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S010411692013000100009.

Branco LLWV, Beleza LO, Luna AA. Carga de trabalho de enfermagem em UTI neonatal: aplicação da ferramenta Nursing Activities Score. Cuidado é fundamental (Online). 2017; 9(1): 144-151. [acesso em 29 mar. 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/ 10.9789/21755361.rpcfo.v9.5280.

Resolução Nº 466 do Conselho Nacional de Saúde (CNS) de 12 de dezembro de 2012 (BR) [Internet]. Dispõe sobre diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos, e dá outras providências. [acesso em 28 mar. 2018]. Disponível em: http://www.conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf.

Teixeira FFR. Dimensionamento e carga de trabalho da enfermagem em UTI pediátrica e neonatal. [dissertação] Curitiba: Universidade Federal do Paraná; 2017.

Lorenzini E, Costa TC, Silva EF. Prevenção e controle de infecção em unidade de terapia intensiva neonatal. Rev. gaúcha enferm. 2013; 34(4):107-113. [acesso em 15 mar. 2018]. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1983-14472013000400014.




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2021.v12.n2.3867

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.