Recorrência da internação por infecção do trato urinário em idosos

Milena Bizo, Rita Cássia Helú Mendonça Ribeiro, Priscila Buck de Oliveira Ruiz, Silvia Maria Albertini, Nádia Antônia Aparecida Poletti, Alexandre Lins Werneck, Renato Mendonça Ribeiro, Jaqueline Lopes Gouveia

Resumo


Objetivos: Identificar, descrever e analisar a Infecção do Trato Urinário e sua recorrência em internação. Caracterizar os aspectos sociodemográficos, laboratoriais e clínicos dos idosos com ITU. Método: Estudo transversal com delineamento descritivo, abordagem quantitativa do tipo analítica, realizada nos prontuários eletrônicos dos idosos que foram internados no ano de 2017 e reinternaram em 2018, na unidade de Geriatria de um hospital de ensino. Na estatística foi usado Teste Exato de Fisher, considerado p<0,05. Resultados: Dos 1.835 prontuários, foram selecionados 550 (29,97%) idosos, destes, foram investigados 121 (22%) com ITU. A maioria foi do sexo masculino com idade entre 80 e 89 anos. Dentre eles, 51,2% usaram algum tipo de sonda vesical e 52,9% usaram frauda. Os exames alterados foram os de creatinina, Proteina-C-Reativa, urina I (proteínas e leucócitos), além de urocultura positiva para Escherichia Coli. Dos 121 pacientes investigados, 50,4% tiveram reinternação por Infecção urinária, destes, 42,6% morreram e, dos que não tiveram recorrência, foram 18,3% óbitos (p= 0,00054).Conclusão: O idoso tem predisposição maior para adquirir infeção urinária, além de apresentar recidivas, principalmente os que fazem uso de sonda vesical e fralda, o que ocasiona aumento da frequência de hospitalizações, do estadiamento no hospital e da mortalidade.


Texto completo:

PDF

Referências


- Miranda G, Mendes A, Silva A. Population aging in Brazil: current and future social challenges and consequences. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. 2016;19(3):507-519.

- Santana M, Silva C. Ações de enfermagem frente à prevenção de infecções relacionadas à assistência à saúde em idosos. Diversitas Journal. 2020;5(2):860-875.

- Melo L, Ferreira L, Santos M, Lima K. Socioeconomic, regional and demographic factors related to population ageing. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. 2017;20(4):493-501.

- Melo L, Ercole F, Oliveira D, Pinto T, Victoriano M, and Alcoforado C. Infecção do trato urinário: uma coorte de idosos com incontinéncia urinária. Rev Brasileira de Enfermagem. 2017;70(4):838-844.

- Filho JSR, Vilar FG, Mota LM, Leal CL, Pisi PGB. Infecção do trato urinário. Medicina (Ribeirão Preto) [internet] 2010 [acesso em 20 novembro de 2017];43(2):118-25. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/166

- Carneiro Maciel G, Silva Santos R, Moreira dos Santos T, Paiva de Menezes R, Fortes Vitor A, Brandão de Carvalho Lira A. Avaliação da fragilidade no idoso pelo enfermeiro: revisão integrativa. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro. 2016;6(3).

- Maia FES, Evangelista AIB, Vieira NA. Fatores de risco relacionados a infecção do trato urinário na assistência à saúde. Rev Bras Ciên Saúde. 2015;13(46):5-10.

- Jorge BM, Mazzo A, Mendes IAC, Trevizan MA, Martins JCA. Infecção do trato urinário relacionada com o uso do cateter: revisão integrativa. Rev Enf Ref [revista em internet]2013[acesso em 20 de novembro de 2017]3(11):125-32. Disponivel em: Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-02832013000300014&lng=pt. http://dx.doi.org/10.12707/RIII1271.

- Cyrino ACT, Stuchi RAG. Infecção do trato urinário em um hospital de uma cidade no interior de Minas Gerais. Rev Enf-Ufjf. 2015;1(1):39-44.

- Lacerda WC, Vale JS, Lacerda WC, Cardoso JLMS. Infecção urinária em mulheres: revisão da literatura. Saúde Foco. 2015;(7):282-95.

- Potter PA, Perry AG. Fundamentos de enfermagem: conceitos, processo e prática. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2013.

- Zuanazzi K, Milene Hermes D, Rodrigues Moreira T, Susin L. Prevalência de infecção do trato urinário em Idosos residentes em uma instituição de longa permanência na cidade de Farroupilha/Rs. Revista UNINGÁ. 2017;52(1):77-83.

- Yeganeh-Sefidan F, Ghotaslou R, Taghi Akhi M, Reza Sadeghi M, Mohammadzadeh-Asl Y, Bannazadeh Baghi H. Fosfomycin, interesting alternative drug for treatment of urinary tract infections created by multiple drug resistant and extended spectrum β-lactamase producing strains. Iranian Journal of microbiology. 2016;8(2):125–131.

- Rowe T. Juthani-Mehta M. Diagnosis and Management of Urinary Tract Infection in Older Adults. Infectious Disease Clinics of North America. 2014; 28(1); 75-89.

- Andrade V. Fernandes F. Prevention of catheter-associated urinary tract infection: implementation strategies of international guidelines. Ver Latino-Am Enfermagem [revista online].2016 [citado em 27 de agosto de 2019]; 24(0). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692016000100311&lng=en.

- Silva RFO, Júnior MAF, Medeiros KC, Almeida ALS, Pinto DPSR, Xavier SSM. Caracterização das infecções do trato urinário e a relação com os distintos ambientes hospitalares. Revista de Enfermagem UFPE On Line [revista online]2014[acesso em 27 de Agosto de 2019];8(5):1221-8.Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/ef53/d2ce91c6e247563358b78f89e771afae9693.pdf.

- Anhanguera Educacional S.A. Anuário da Produção Iniciação Científica Discente. Exame de urina tipo I: frequência percentual de amostras que sugerem infecção urinaria. 2008; XI(12):57-68.

- Silva R, Assis A, Melo R, Santos V, Ventura C. Infecção Do Trato Urinário: achados laboratoriais de exames de urina em homens idosos no primeiro trimestre do ano de 2016 na cidade de Parnaiba-Pi. Acta Biomédica Brasiliensia. 2017;8(2):23.

- Tassis RV, Carneiro LGB, Guerzet LC, Barros CV, Morelato RL. Proteina-c reativa como biomarcador no diagnóstico precoce de infecção bacteriana na pessoa idosa. Ver Soc Bras ClinMed.2015;13(1):24-7.

- Collares GB, Paulino UHM. Aplicações clínicas atuais da proteína c reativa. Rev Med de Minas Gerais.2006;16(4):227-333.

- Cerqueira D, Tavares J, Machado R. Predictive factors for renal failure and a control and treatment algorithm. Revista Latino-Americana de Enfermagem. 2014;22(2):211-217.

- Dodo EF, Junior NPS. Infecção urinária em idosos: Uma breve abordagem. Ariquemes: Faculdade de Educação e Meio Ambiente – FAEMA. Trabalho de Conclusão de Curso em Farmácia; 2014.

- Moraes D, Braoios A, Alves JLB, Costa RM. Prevalência de uropatógenos e perfil de susceptibilidade a antimicrobianos em ambulatório de Jataí-GO. J. Bras. Patol. Med. Lab. [Internet]. 2014 [acesso 27 de janeiro de 2019]; 50 (3): 200-204. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-24442014000300200&lng=en.

- Silva JMP, Vasconcelos MMA, Dias CS, Vasconcelos MA, Mendonça ACQ, Froes B et al. Aspectos atuais no diagnóstico da infecção do trato urinário. Revista Médica de Minas Gerais [Internet] 2014 [acesso 27 de janeiro de 2019] ; 24 (Supl 2): S20-S30. Disponível em: http://rmmg.org/artigo/detalhes/620

- ] Segal AJ, Newhouse JH, Bluth EI, Bush WH, Choyke PL, Jafri SZ, Older RA, Rosenfield AT, Sandler CM, Tempany C, Resnick MI. Infecções recorrentes do trato urinário inferior em mulheres. Colégio Brasileiro de Radiologia [Internet]2017 [acesso 27 de janeiro de 2019] 841-846. Disponível em: https://cbr.org.br/wp-content/uploads/2017/06/02_11v2.pdf.

- Corrêa EF, Montalvão ER. Infecção do trato urinário em Geriatria. Rev de Ciências Ambientais e Saude [Internet] 2010 [acesso 27 de janeiro de 2019]; 37(4). Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/estudos/article/view/1831

- Izaias EM, Dellaroza MSG, Rossaneis MA, Belei RA. Custo e caracterização de infecção hospitalar em idosos. Ciênc. saúde coletiva [Internet]. 2014 [acesso 27 de janeiro de 2019]; 19(8): 3395-3402. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141381232014000803395&lng=en.

- Villas Bôas PJF, Ruiz T. Ocorrência de infecção hospitalar em idosos internados em hospital universitário. Rev. Saúde Pública [Internet]. 2004 [acesso 27 de janeiro de 2019]; 38(3): 372-378. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102004000300006&lng=en




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2021.v12.n4.4562

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.