Significado de violência obstétrica para os profissionais que atuam na assistência ao parto

Angélica de Cássia Bitencourt, Samanta Luzia de Oliveira, Giseli Mendes Rennó

Resumo


Objetivo: conhecer o significado de violência obstétrica para os profissionais que atuam na assistência ao trabalho de parto e parto. Método: a pesquisa foi de abordagem qualitativa, do tipo descritivo, exploratório e transversal. Os participantes da pesquisa foram 22 profissionais que prestam ou prestaram assistência à mulher durante o trabalho de parto e parto. A análise dos dados coletados foi realizada utilizando a proposta de análise de conteúdo de Bardin. Resultados: foram encontradas as categorias “Não respeitar o protagonismo da mulher”, “Intervenções desnecessárias”, “Negar atendimento”, “Relação profissional e parturiente conflituosa”, “Agressão verbal”, e “Desconhecimento de profissionais e parturientes”. Conclusão: os profissionais conhecem o significado de VO, pois as suas falas corroboram com a literatura e retratam uma realidade das maternidades.

Descritores: Parto Humanizado. Violência contra a Mulher. Humanização da Assistência.


Texto completo:

PDF

Referências


Gomes SC, Teodoro LPP, Pinto AGA, Oliveira DR, Quirino GS, Pinheiro AKB. Rebirth of childbirth: reflections on medicalization of the Brazilian obstetric care. Rev Bras Enferm [Internet]. 2018 [cited 2019 Jan 12];71(5):2594-2598. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0564

Oliveira VJ, Penna CMM. O discurso da violência obstétrica na voz das mulheres e dos profissionais de saúde. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2017 [cited 2019 Jan 13];26(2):1-10. Available from: http://www.scielo.br/pdf/tce/v26n2/pt_0104-0707-tce-26-02-e06500015.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Diretrizes nacionais de assistência ao parto normal: versão resumida [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2017 [cited 2017 Jun 2]. Available from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacionais_assistencia_parto_normal.pdf

Venezuela. Ley Orgánica sobre el Derecho de las Mujeres a una Vida Libre de Violencia [Internet]. Diario Oficial de la Federación; fev. 2007 [cited 2017 Jul 20]. Available from: http://venezuela.unfpa.org/doumentos/Ley_mujer.pdf

Organização Mundial da Saúde. Maternidade segura: Prevenção e eliminação de abusos, desrespeito e maus-tratos durante o parto em instituições de saúde [Internet]. Genebra, Suíça; 2014 [cited 2017 May 1]. Available from: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/134588/WHO_RHR_14.23_por.pdf;jsessionid=FC9E12A250EA82292D99AF939EAC917E?sequence=3

Rennó GM, Mairink APAR, Gradim CVC. Obstetric Violence: Women’s Perception of Assistance. EC Nursing and Healthcare [Internet]. 2021 [cited 2021 Jan 25];3(2):30-38. Available from: https://www.ecronicon.com/ecnh/pdf/ECNH-03-00153.pdf

Polit DF, Beck CT. Fundamentos de pesquisa em enfermagem: avaliação de evidências para a prática da enfermagem. 7. ed. Porto Alegre: Artmed; 2011.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

Andrade MAC, Lima JBMC. O Modelo Obstétrico e Neonatal que Defendemos e com o qual Trabalhamos. In: Brasil. Ministério da Saúde. Cadernos HumanizaSUS: Humanização do parto e do nascimento [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2014 [cited 2017 may 1]. Available from: http://www.redehumanizasus.net/sites/default/files/caderno_humanizasus_v4_humanizacao_parto.pdf

Gonçalves L, Ferigato S, Souza TP, Cunha GT. Parto Domiciliar como um Dispositivo de Humanização das Práticas de Saúde no Brasil. In: Brasil. Ministério da Saúde. Cadernos HumanizaSUS: Humanização do parto e do nascimento [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2014 [cited 2017 Jan 12]. Available from: http://www.redehumanizasus.net/sites/default/files/caderno_humanizasus_v4_humanizacao_parto.pdf

Scarton J, Prates LA, Wilhelm LA, Silva SC, Possati AB, Ilha CB, Ressel LB. “No final compensa ver o rostinho dele”: vivências de mulheres-primíparas no parto normal. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2015 [cited 2019 Jan 19];36(esp):143-141. em: Available from: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v36nspe/0102-6933-rgenf-36-spe-0143.pdf

Martins CP, Nicolotti CA, Vasconcelos MFF, Melo RA. Histórico do Modelo de Atenção ao Parto e Nascimento com que Trabalhamos. In: Brasil. Ministério da Saúde. Cadernos HumanizaSUS: Humanização do parto e do nascimento [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2014 [cited 2017 May 1]. Available from: http://www.redehumanizasus.net/sites/default/files/caderno_humanizasus_v4_humanizacao_parto.pdf

Rodrigues DP, Alves VH, Vieira RS, Leão DCMR, Paula E, Pimentel MM. A violência obstétrica no contexto do parto e nascimento. Rev enferm UFPE on line [Internet]. 2018 [cited 2019 Jan 21];12(1):236-246. Available from: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/23523/26086

Oliveira VJ, Penna CMM. Every birth is a story: process of choosing the route of delivery. Rev Bras Enferm [Internet]. 2018 [cited 2019 Jan 13];71(3):1228-1236. Available from: http://www.scielo.br/pdf/reben/v71s3/pt_0034-7167-reben-71-s3-1228.pdf

Bezerra EO, Bastos IB, Bezerra AKB, Monteiro PV, Pereira MLDP. Aspectos da Violência Obstétrica Institucionalizada. Enferm. Foco [Internet]. 2020 [cited 2021 May 9];11(6):157-164. Available from: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/3821/0

Riscado LC, Jannotti CB, Barbosa RHS. A decisão pela via de parto no Brasil: temas e tendências na produção da saúde coletiva. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2016 [cited 2019 Jan 13];25(1):1-10. Available from: http://www.scielo.br/pdf/tce/v25n1/0104-0707-tce-25-01-3570014.pdf

Rodrigues DP, Alves VH, Penna LHG, Pereira AV, Branco MBLR, Silva LA. A peregrinação no período reprodutivo: uma violência no campo obstétrico. Esc Anna Nery [Internet]. 2015 [cited 2019 Jan 18];18(4):614-620. Available from: http://www.scielo.br/pdf/ean/v19n4/1414-8145-ean-19-04-0614.pdf

Castro ATB, Rocha SP. Violência Obstétrica e os cuidados de enfermagem: reflexões a partir da literatura. Enferm. Foco [Internet]. 2020 [cited 2021 May 9];11(1):176-181. Available from: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/2798/725

Brasil. Nascer no Brasil: Inquérito Nacional sobre parto e nascimento. Sumário executivo temático nascer no Brasil [Internet]. Brasília (DF); 2014 [cited 2019 Jan 12]. Available from: www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/arquivos/anexos/nascerweb.pdf

Brasil. Dossiê elaborado pela Rede Parto do Princípio para a CPMI da Violência Contra as Mulheres. Violência Obstétrica: “Parirás com dor” [Internet]. Brasília (DF); 2012 [cited 2017 may 1]. Available from: https://www.senado.gov.br/comissoes/documentos/SSCEPI/DOC%20VCM%20367.pdf

Guimarães LBE, Jonas E, Amaral LROG. Violência obstétrica em maternidades públicas do estado do Tocantins. Revista Estudos Feministas [Internet]. 2018 [cited 2019 Jan 13];26(1):1-11. Available from: http://www.scielo.br/pdf/ref/v26n1/1806-9584-ref-26-01-e43278.pdf

Zanardo GLP, Uribe MC, Nadal AHR, Habigzang LF. Violência Obstétrica no Brasil: uma revisão narrativa. Psicologia & Sociedade [Internet]. 2017 [cited 2019 Jan 14];29:1-11. Available from: http://www.scielo.br/pdf/psoc/v29/1807-0310-psoc-29-e155043.pdf

Aguiar JM, d’Oliveira, AFPL, Schraiber LB. Violência institucional, autoridade médica e poder nas maternidades sob a ótica dos profissionais de saúde. Cad Saúde Pública [Internet]. 2013 [cited 2017 Nov 5];29(11):2287-2296. Available from: https://www.scielo.br/pdf/csp/v29n11/15.pdf

Jardim DMB, Modena CM. Obstetric violence in the daily routine of care and its characteristics. Rev Latino-Am Enfermagem [Internet]. 2018 [cited 2018 Jan 22];26(e3069):1-12. Available from: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v26/pt_0104-1169-rlae-26-e3069.pdf

Leal SYP, Lima VLA, Silva AF, Soares PDFL, Santana LR, Pereira A. Percepção de enfermeiras obstétricas acerca da violência obstétrica. Revista Cogitare Enferm [Internet]. 2018 [cited 2019 Jan 16];23(2):e52473. Available from: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/52473/pdf




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2021.v12.n4.4614

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.