Dependente sim, viciado não: representações sociais de dependentes químicos

Sílvio Éder Dias da Silva, Maria José Itayra Padilha, Jéssica Mayara Marques Barboza de Oliveira, Jeferson Santos Araujo, Ingrid Mello Barata, Natacha Mariana Farias da Cunha, Poliana dos Santos Alves, Esleane Vilela Vasconcelos

Resumo


Resumo: Objetivou-se identificar e interpretar as Representações Sociais dos Dependentes Químicos sobre as Drogas, atendidos pela Casa
Mental Álcool e Drogas (Casa AD). Trata-se de um estudo do tipo descritivo, com abordagem qualitativa. Tem como aporte a Teoria das Representações
Sociais criada por Serge Moscovici, constituída pelos depoimentos de 30 dependentes químicos produzidos a partir de entrevista
semiestruturada e da técnica de associação livre de palavras. Foi realizada análise temática. Os depoentes se sentiam afetados por tudo aquilo que
aconteceu e/ou estava ainda acontecendo em suas vidas, mas o vício se faz presente, e emerge sensação de necessidade extrema do consumo.

Descritores: Enfermagem, Saúde Mental, Entorpecentes.

Dependent yes, not addicted: representations of drug

Abstract: This study aimed to identify and interpret the social representations of chemical dependents About Drugs, Mental served by Casa
Alcohol and Drugs (House AD). This is a descriptive study with a qualitative approach. Its contribution to the social representations theory created
by Serge Moscovici, comprising the testimonies of 30 drug produced from a semistructured interview and the technique of free association of
words. Thematic analysis was performed. The respondents felt affected by everything that happened and / or was still happening in their lives,
but addiction is present, and emerge feeling of extreme necessity consumption.

Descriptors: Nursing, Mental Health, Narcotics.

Dependiente sí, no addicted: representaciones de la droga

Resumen: Este estudio tuvo como objetivo identificar e interpretar las representaciones sociales de Dependientes químicos sobre las Drogas,
Alcohol mentales atendidos por Casa y Medicamentos (Anuncio). Se trata de un estudio descriptivo con un enfoque cualitativo. Su contribución
a la teoría de las representaciones sociales creado por Serge Moscovici, que incluye los testimonios de 30 medicamentos producidos a partir
de una entrevista semiestructurada y la técnica de asociación libre de palabras. El análisis temático se realizó. Los encuestados se sintieron
afectados por todo lo que pasó y / o que se siguen sucediendo en sus vidas, pero la adicción está presente, y surgen sentimientos de consumo
de extrema necesidad.

Descriptores: Enfermería, Salud Mental, Narcóticos.


Texto completo:

PDF

Referências


Vargas D. Versão reduzida da escala de atitudes frente ao álcool, alcoolismo e ao alcoolista: resultados preliminares. Rev Esc Enferm USP. 2011;45(4): 918-25.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Plano emergencial de ampliação do acesso ao tratamento e prevenção em álcool e outras drogas. Brasília; 2009.

Horta WA. Processo de enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Kooga; 2011.

Pokorski S, Moraes MA, Chiarelli R, Costanzi AP, Rabelos ER. Processo de enfermagem: da literatura à prática. O quê de fato nós estamos fazendo? Rev Latino-Am Enfermagem. 2009;17(3):302-7.

Castilho NC, Ribeiro PC, Chirelli MQ. A implementação da sistematização da assistência de enfermagem no serviço de saúde hospitalar do Brasil. Texto Contexto Enferm. 2009;18(2):280-9.

Mangueira SO, Lima JTS, Costa SLA, Nóbrega MML, Lopes MVO. Implantação da sistematização da assistência de enfermagem: opinião de uma equipe de enfermagem hospitalar. Enferm. foco. 2012;3(3):135-8.

Barros ALBL, Lopes JL. A legalização e a sistematização da assistência de enfermagem. Enferm Foco. 2010;1(2):63-5.

Herdman TH (Ed). Diagnósticos de enfermagem da NANDA: definições e classificação 2012-2014. Porto Alegre: Artmed; 2013.

Chaves ECL, Carvalho EC, Hass VJ. Validação do diagnóstico de enfermagem Angústia Espiritual: análise por especialistas. Acta Paul Enferm. 2010;23(2):264-70.

Silva EGC, Oliveira VC, Neves GBC, Guimarães TMR. O conhecimento do enfermeiro sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem: da teoria à prática. Rev Esc Enferm USP. 2011;45(6):1380-6.

Franco MTG, Akemi EN, D Inocento M. Avaliação dos registros de enfermeiros em prontuários de pacientes internados em unidade de clínica médica. Acta Paul Enferm. 2012;25(2):163-70.

Schmidt PMS, Giordani AM, Rossi AG, Cóser PL. Avaliação do equilíbrio em alcoólicos. Rev Bras Otorrinolaringol. 2010;76(2):148- 55.

Maio R, Dichi JB, Burini RC. Implicações do alcoolismo e da doença hepática crônica sobre o metabolismo de micronutrientes. Arq Gastroenterol. 2010;37(2):120-4.

Catelan A, Guedes APA, Santos PH. Erosão dental e suas implicações sobre a saúde bucal. RFO UPF. 2010;15(1):83-6.

Chagas M. Hildebrandt LM, Leite MT, Stumm EMF, Vianna RM. O alcoolismo e o grupo de alcoólicos anônimos: o conhecimento de alcoolistas. Cad Bras Saúde Mental. 2010;2(4-5):190-212.

Souza RS, Siqueira MM. O processo de enfermagem na assistência a pacientes com dependência de álcool. J Bras Psiquiatr. 2005;54(3):228-33.

Paganin A, Menegat P, Klafke T, Lazzarotto A, Fachinelli TS, Chaves IC, et al. Implantação do diagnóstico de enfermagem em unidade de terapia intensiva: uma análise periódica. Rev Gaúcha Enferm. 2010;31(2):307-13.




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2014.v5.n1/2.598

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.