Corpo, gênero e maternidade: algumas relações e implicações no cuidado em saúde*

Dagmar Elisabeth Estermann Meyer

Resumo


Apoiada nos Estudos Culturais e de Gênero pós-estruturalistas, discuto processos contemporâneos de significação do corpo em conexão com as noções de “vida boa” e “felicidade”, na perspectiva proposta por Ayres, tomando o corpo como lócus e operador de cuidado em saúde. Baseando-me em resultados de pesquisas, indico a necessidade de nos perguntarmos mais seguidamente: diferenças de gênero e sexualidade podem interferir em relações de cuidado? Como isso pode expressar-se? Como se conecta ao exercício de determinadas formas de poder e de autoridade, no campo da saúde e das relações de cuidado, facilitando e/ou dificultando a “vida boa” e a “felicidade”?

Descritores: Corpo, Gênero, Maternidade, Cuidado, Pós-Estruturalismo.

Body, gender and maternity: some relations and implications in health care

Grounded on post-structuralist Cultural and Gender Studies, I have discussed about contemporary processes of body signification in connection with notions of ‘good life’ and ‘happiness’, from the perspective proposed by Ayres, regarding body as both a locus and an operator of health care. Based on research results, I have pointed out the need for asking questions more often such as: can gender and sexuality differences interfere in care relations? How can this be expressed? How does it connect with the exercise of certain forms of power and authority, in the field of health and care relations, either making it easier and/or hindering ‘good life’ and ‘happiness’?

Descriptors: Body, Gender, Maternity, Care, Post-Structuralism.

Cuerpo, género y maternidad: algunas relaciones e implicaciones en el cuidado en salud

Con el apoyo de los Estudios Culturales y de género postestructuralista, analizo los procesos actuales de la significación del cuerpo en relación con las nociones de "buena vida" y "felicidad" en la perspectiva propuesta por Ayres, tomando el cuerpo como un locus y operador de la asistencia en salud. Sobre la base de los resultados de la investigación, indico la necesidad de preguntar más veces: el sexo y la sexualidad pueden interferir con las relaciones de cuidado? ¿Cómo puede expresarse? Cómo conectarse con el ejercicio de ciertas formas de poder y autoridad en el ámbito de las relaciones de cuidado de salud, facilitar y / u obstaculizar la "buena vida" y "felicidad "?

Descriptores: Cuerpo, Género, Maternidad, Cuidado, Post-Estructuralismo.

Texto completo:

PDF

Referências


Grosz E. Corpos reconfigurados. Cad Pagu. 2000;14:45-86.

Ayres JRM. Cuidado e reconstrução das práticas de saúde. Interface Comun Saúde Educ. 2004;8(14):73-91.

Ayres JRM. Hermenêutica e humanização das práticas de saúde. Ci Saúde Coletiva. 2005;10(3):549-60.

Hall S. Quem precisa de identidade? In: Silva TT, organizador. Identidade e diferença. 4ª ed. A perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes; 2005.

Nicholson L. “Interpretando o gênero”. Rev Estud Fem. 2000;8(2):9-42.

Meyer D, Soares R. Corpo, gênero e sexualidade: um início de reflexão. In: Meyer D, Soares R, organizador. Corpo, gênero e sexualidade. Porto Alegre: Mediação; 2004.

Louro G. Um corpo estranho. Ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica; 2004.

Meyer D. Teorias e políticas de gênero: fragmentos de histórias e desafios atuais. Rev Bras Enferm. 2004;57(1):13-8.

Meyer D. Educação, saúde e politização da maternidade: olhares desde a articulação entre estudos culturais e estudos de gênero. In: Silveira RH. Cultura, poder e educação. Canoas: Ed. ULBRA; 2005.

Pivetta M. Ecos da separação. Rev Ciênc Tecnol Bras. 2004;99:34-9.

Schwengber SV. Mãe mais que perfeita é aquela que mantém a forma sem prejudicar o bebê. Anais do XIV Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte (Combrace). Porto Alegre: UFRGS, de 4 a 9 de setembro de 2005, p. 11.

Meyer D, Oliveira D. Breastfeeding policies and the production of motherhood: a historical-cultural approach. Nurs Inq. 2003;10(1):11-8.

Almeida JA. Amamentação. Um híbrido natureza-cultura. 2ª ed. Rio de Janeiro: Fiocruz; 1999.




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2011.v2.n1.68

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.