Tempo de atuação do profissional enfermeiro – Minas Gerais

Lenice de Castro Mendes Villela, Elizabeth Perez Galastro, Maria Édila Abreu Freitas, Mariana Silva Guimarães Santos, Karine Antunes Marques Notaro

Resumo


Estudo tipo série histórica acerca do tempo médio de atuação dos enfermeiros que por algum motivo cancelaram sua inscrição no Conselho Regional de Enfermagem de Minas Gerais (COREN-MG) entre 1995 e 2006. As variáveis incluem tempo e local de atuação profissional, sexo, faixa etária e motivo do cancelamento. O cancelamento das inscrições foi de 1.035 enfermeiros: destes, 92,2% do sexo feminino. O tempo de atuação do enfermeiro no mercado de trabalho aproxima-se de 50% nos dez primeiros anos e 25% entre 11 a 20 anos. No primeiro ano de atuação, há uma evasão de 10%.

Descritores: Exercício Profissional, Recursos Humanos de Enfermagem, Satisfação no Emprego.

Time performance of the professional nurse – Minas Gerais

A time series study on average time of nurse practice before cancelling their Regional Council of Nursing of Minas Gerais (MG-COREN) was conducted using data from 1995 to 2006. Variables included time and location of professional activity, gender, age and reason for cancellation. Cancellation of entries was 1,035 nurses of which 92.2% were female. The operating time of the nurse in the labor market was approaching 50% in the first ten years and 25% from 11 to 20 years. In the first year of work, there was a 10% drop out.

Descriptors: Professional Practice, Nursing Staff, Job Satisfaction.

Tiempo de actuación del professional enfermeiro – Minas Gerais

Estudio del tipo serie histórica relacionado al tiempo medio de actuación de los enfermeros que por algún motivo cancelaron su inscripción en el Consejo Regional de Enfermería, Minas Gerais (COREN-MG), entre 1995 y 2006. Las variables incluyen tiempo y local de actuación profesional, sexo, grupo etario y motivo de la cancelación. La cancelación de las inscripciones fue de 1.035 enfermeros, siendo 92.2% del sexo femenino. El tiempo de actuación del enfermero se aproxima de 50% en los diez primeros años y 25% entre 11 a 20 años. En el primer año de actuación hay una evasión de 10%.

Descriptores: Práctica Profesional, Personal de Enfermería, Satisfacción en el Trabajo.

Texto completo:

PDF

Referências


Lautert L. O desgaste profissional do enfermeiro [tese]. Salamanca (ES): Universidade Pontifícia Salamanca; 1995.

Pires D. Hegemonia médica na saúde e a enfermagem – Brasil 1500 a 1930. São Paulo: Cortez; 1989.

Pires D, Gelbcke FL, Matos E. Organização do trabalho em enfermagem: implicações no fazer e viver dos trabalhadores de nível médio. Trab Educ Saúde. 2004;2(2):311-20.

Carvalho SR, Cunha GT. A gestão da atenção na saúde: elementos para se pensar a mudança da organização na saúde. In: Campos GWS. Tratado de saúde coletiva. São Paulo: Hucitec, Rio de Janeiro: Fiocruz; 2006.

Cianciarullo TI. A questão do desenvolvimento do conhecimento na saúde: o PSF no cenário atual. In: Cianciarullo TI, Silva GTR, Cunha ICKO. Uma nova estratégia em foco: o Programa de Saúde da Família – identificando as suas características no cenário do SUS. São Paulo: Ícone; 2005.

Duarte GG, Angerami ELS, Gomes DLS, Mendes IJM. Vida média de labor dos enfermeiros egressos da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, USP - Brasil. Rev Latinoam Enferm. 2000;8(6):91-5

Secaf V, Rodrigues ARF. Enfermeiros que deixaram de exercer a enfermagem: por que? Rev Latinoam Enferm. 1998;6(2):5-11.

Angerami ELS, Gomes DLS, Mendes IJM. Estudo da permanência dos enfermeiros no trabalho. Rev Latinoam Enferm. 2000;8(6):91-5.

Mendes DC. Recursos humanos em enfermagem. Adequação da formação a utilização. In: Congresso Brasileiro de Enfermagem, 34. Porto Alegre, 1982. Anais: Porto Alegre (PA): Aben; 1982. p. 78-84.

Martins C, Kobayashi RM, Ayoub AC, Leite MMJ. Perfil do enfermeiro e necessidades de desenvolvimento de competência profissional. Texto Contexto Enferm. 2006;15(3):472-8.

Marziale MHP. Enfermeiros apontam as inadequadas condições de trabalho como responsáveis pela deterioração da qualidade da assistência de enfermagem. Rev Latinoam Enferm. 2001;9(3):1-5.

Associação Brasileira de Enfermagem. Levantamento de recursos e necessidades em enfermagem no Brasil – 1956/1958. Brasília: ABEN; 1980.

Estryn-Behar M, Poinsignon M. Travailler à I'hôpital. Paris: Berger-Levrault; 1989.

Taylor, C.E., Dirican, R., Deuschle, K.W. Helath manpower planning in Turkey: an international reseach case study. Baltimore: Johns Hopkins Press; 1976.

Caviochioli A. Profissionalitá infermieristica: element essenziali, strumenti operative. In: Anselmi ML. II quadro de riferimento per la formulaziena del budget del personale infermieristico nelle aziende sanitarie. Milano: University of Birgman/Universitá Commerciale “L. Bocconi” Scuola direzione aziendale; 1996-1997.




DOI: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2011.v2.n4.194

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Eletrônico ISSN: 2357-707X

Impresso ISSN: 2177-4285

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.